terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O meu blogue


Há dias vinha eu a descer uma rua da minha terra com as minhas duas pequenas (todo babado… não há coisa que eu mais adore) quando esta senhora me abordou:

- Ai tão lindas… Esta é a mais pequenina, não? Tão gira… Eu li lá no seu blogue quando ela nasceu. Eu gosto muito do seu blogue, sabe? Todas as semanas lá vou. (Olhando para o lado e rindo) Eu acho aquilo um espectáculo.

-Ai sim? Olhe… fico muito contente com isso. Obrigado.

E fiquei a pensar…. Isto vindo de uma pessoa que eu estava longe de pensar que fosse frequentadora do meu blogue. Não porque eu tenha uma ideia pré-concebida de quem é o meu leitor/a tipo mas porque pensava sinceramente que aquela pessoa deveria ter mais coisas com que se ocupar/entreter do que com o meu blogue. Fiquei lisonjeado. Fico sempre quando me dizem coisas simpáticas do meu blogue.

Ter um blogue não é fácil, sobretudo quando o tratamos com o carinho e a assiduidade com que trato o meu. São muitas horas de trabalho que acabam sempre por compensar, sobretudo nestes momentos.

Já são anos e há dias em que não nos apetece. Há dias em que pensamos se valerá realmente a pena e depois há momentos como este. Que dão sentido a tudo.

Há dias comentava com uns colegas a triste situação em que o nosso país e o nosso concelho se encontram. Falávamos de um Portugal em crise, desempregado, cabisbaixo, taciturno, apático. Falávamos de um Marvão despovoado, sem iniciativa, sem perspectivas de futuro, com os serviços públicos cada vez com menos movimento. Arrematei a parte que me tocava com um “ainda assim… eu digo como o outro: quando a tristeza me invade… canto o fado!”.

E dizem-me do outro lado do balcão: “é o que vale é a alegria deste Pedro e as coisas lindas que escreve no blogue. Sabes, Pedro? Vou-te dizer uma coisa que tu podes não acreditar mas é muito verdade. Uma vez mostraram-me um texto que tu escreveste quando morreu um amigo teu… um mocinho lá de Santo António… sim, esse… e eu li aquilo e fiquei de uma maneira que nem te consigo explicar. Achei aquilo uma coisa tão linda, tão linda que só de pensar nela até parece que me sobe uma coisa no peito e me fica aqui na garganta. Sabes o que fiz? Guardei-o! E de vez em quando… leio-o. Quando me sinto triste e aborrecida com a vida… lembro-me do texto, vou lê-lo e fico logo melhor. Palavra de honra”.

Se algum dia eu precisar de me explicar porque faço isto, vou voltar aqui.

13 comentários:

Garraio disse...

Atão e o jeep?

Catarina disse...

Eu lembro-me do primeiro post, ainda no outro blog.
Era sobre a infância, a tua e a da Leonor. No fundo, era sobre o rapazinho que se recusa a crescer...( ou eu pelo menos entendi assim)
Parabéns, não pelo blog, mas por continuares com força e vontade de o manter.
Eu gosto de te ler desde o primeiro post.

Helena Barreta disse...

Eu gosto de si. Mesmo não o conhecendo, gosto da sua essência, pelas suas palavras vejo que é um óptimo pai, um cidadão preocupado e interventivo, uma pessoa que trabalha e tem iniciativas para o bem da comunidade, um amigo fantástico. Um homem que abre tantas vezes o coração aqui, que expõe o quanto tantas injustiças o deixam triste, que se emociona, que fala das coisas com uma lucidez e imparcialidade, que me agrada.

Todos os dias aqui venho e se há dias que me farto de rir com o que escreve, também os há em que choro, me emociono, outros em que fico a pensar nas palavras tão certeiras. Houve posts que podia ter sido eu a escrever, noutros, soube de iniciativas, homenagens e factos da vossa terra que me enchem de orgulho, porque mesmo não sendo alentejana de nascimento, sou-o de coração.

Agradeço-lhe a partilha e a dedicação com que nos brinda todos os dias.

Um abraço

Isabel I disse...

Também não o conheço bem. Mas venho lê-lo porque aquilo que o Pedro escreve, às vezes, vai-me direito ao coração.( Tem razão em ser vaidoso com as suas meninas. Eu também sou com os meus).

conceicaobarreta disse...

Quando um dia vagueando pela blogosfera,encontrei não sei como o seu blogue foi atracção à primeira vista,logo à partida o nome levou-me a entrar talvez por adorar MARVÃO,mas é muito mais,há tanta variedade de assuntos todos certeiros,todos bem escritos,leio poucos blogues de homens,mas este sempre que posso entro cá,nem que seja para ver (a foto da entrada)eu sei que tem um nome mas não tenho agora tempo(que pena!)será,cabeçalho?Tem muito sentido de humor e trabalho acredito que sim quando for aí vou andar atenta para ver se o vejo com as suas meninas,continue a escrever.

M. disse...

Para mim continua a ser um prazer voltar aqui. Invejo a tua paciência para dissertares sobre tudo e comovo-me com a maneira como tratas as tuas mulheres :)

Por cá continuarei e um dia ainda espero apresentar-te ao meu Vicente :)

Garraio disse...

Atão e o jeep??

(Não é a toda a gente que escrevem estas coisas, ó Pedrocas... ;-))

Ilda disse...

Para não falar, daqueles como eu, que vêm, não dizem (escrevem) nada, mas que gostam muito...

gi disse...

Pedro, há muita gente que te lê, até aqueles que dizem que não o fazem, ainda que encapotados, lá vão falando sobre os assuntos do blog. Eu leio, comento e admiro a forma como o fazes. Admiro a forma como escreves sobre os mais variados assuntos. Gosto especialmente como falas das tuas meninas. Esse menino que teima em não crescer, é na realidade um grande homem. Obrigado por partilhares os teus textos.

Pedro Sobreiro (Tio Sabi) disse...

O meu bom do Garraio… que está tão chatinho com o Jeep (temos de ir mudando, meu caro amigo, a ideia é essa…) tem toda a razão: não é certamente a toda a gente que dizem estas coisas e eu sinto-me um sortudo por ter leitoras(es) assim, que me seguem assiduamente, que me encorajam e animam a continuar. Sem elas(es) nada disto faria sentido. Escrever só para os meus botões não chega.

E é por isso que aproveito a oportunidade para lhes agradecer por serem fiéis, por darem um sentido a tudo isto. A todas e todos os que me lêem mas sobretudo aos que aqui expressaram a sua consideração por mim e pelo meu trabalho… OBRIGADO!

À Helena (sempre presente, sempre actuante, sempre na linha da frente… por vezes, tanto que ajuda ouvir logo o seu eco solitário/ solidário pela manhã. Bem haja! Escreveu um belo comentário que muito me tocou);

À Catarina (pela militância… já desde o tempo do blogue Desabafos de Marvão. Eu também sou fã do teu blogue! Não te esqueças! Não comento é tanto ;( Mas não perco!);

À Isabel I das Areias (pela sinceridade, frontalidade e pela confidência);

À Conceição Barreta (leitora mais recente, pelo que sei, mas persistente e também fiel);

À Marisa (E eu não sou também tão fã teu? Quem descobriu primeiro o blogue do outro? Adoro! E não só quero conhecer esse teu príncipe como ainda um dia, o teu mais que tudo há-de tirar uma foto com o herdeiro entre as minhas princesas, numa tarde em que venham a Marvão. Faremos um encontro de blogues como costumam fazer os motards);

Ao Garraio (As tuas chicotadas sabem a mel. A tua crítica faz-me crescer. Mas um carinho também é tão bom. Eu gosto mais. Hei-de oferecer-te um quadro gigante com a foto do jeep para meteres na tua sala por cima da televisão. Para te animar. Eu não te quero depre. Grande abraço!);

À Gisela (também sempre interveniente e pró-activa. Até nisso o blogue é bom… porque me aproxima de quem descubro que gosto, pessoas das quais estaria menos próximo por circunstâncias naturais da vida. Um beijo!)

À Ilda (que não se manifesta tanto mas que já tem aqui deixado expresso um ar do seu sentir) e a todos(as) os(as) outros(as) leitores(as) que seguem mas que não comentam ou que comentam pessoalmente quando comigo estão.

VAI POR VOCÊS!

Jota disse...

Eu não me vou alongar muito no meu comentário.
Ainda que seja relativamente novo no teu blog, já sou fã!!
Escreve, continua este espaço... porque sabe tão bem vir aqui!

Sandra Bugalhão disse...

Amigo Pedro!
Apesar de muitas vezes não dizer nada. Todos os dias pela manha quando chego ao meu trabalho abro os meus mails e venho ao teu blog é um gesto que se tornou num hábito.Quase como ler o jornal.
Se houver algum dia que por qualquer razao não o faça parece que me falta qualquer coisa.
Gosto muito da forma como passas para o papel tudo o que penssas. Sabes que um dia quando o blog passar a livro eu serei uma das primeiras a comprar, (com autografo do autor)!
Ainda este fim-de-semana estive a falar de ti e da Cristina com uma amiga que temos em comum a Rita Espada.
Beijinhos para ti e para as tuas princesas... continua

José disse...

Olá,

Às vezes blogar dói um pouco, mas depois passa.
Vim parar ao teu blogue através de uma imagem que me enviaram por e-mail.

Cumprimentos,

José