quinta-feira, 31 de março de 2011

"Portugal e o futuro", por Pedro Sabi (d'aprés Spínola)



Aviso à navegação: o texto que vai ler a seguir (se tiver coragem para tanto…) é o resultado de uma cáustica análise de teor político obtida através de um transe catártico. Saiba que pode ferir as mentes mais sensíveis. Aconselha-se o(a) leitor(a) a que esteja acompanhado(a) de um adulto, num local bem iluminado e arejado. Em laboratório, após a leitura, foram registados efeitos secundários como vómitos, alucinações e ataques de pânico. Eu avisei…

-

Pois é, meus amigos, deixem-me “bancar” uma, como dizem nossos irmãos brásilêros, de Prófessô Marcello… Isso aí, galera!

-

Eu vi a conferência de imprensa que o Sócrates deu no Altis no passado domingo, empoleirado no alto dos mais de 90% dos votos que o reelegeram como secretário-geral do partido socialista, no seu habitual registo cómico/teatral. E digo-vos uma coisa: o gajo é do mais rijo que pode haver. Se voltar a cair um meteorito na terra, como aquele que deu cabo dos dinossauros, coitadinhos, só vão resistir duas cenas: as baratas e o Sócrates. O tipo é bem capaz de ser o maior animal político da história da democracia portuguesa, no sentido mais amplo e pérfido da expressão: até a mentir é perfeito! Ele acredita nas mentiras que crava! Não desarma! Não saí, nem que o mandem! Não morre, nem que o matem! Filha da mãe! Não dá hipótese!

-

Como seria de esperar, aproveitou a ocasião para desancar de “alto a baixo” no PSD e nesse propósito saiu-se bem demais. É certo que o PSD deu uma “ajudona” e “meteu-se a jeito”. Desde que o PM apresentou a demissão ao PR, “Passos e Companhia” não têm feito outra coisa que dar tiros na cabeça. É uma coisa impressionante! Assim que meteu a boca no trombone vomitou logo que ia aumentar os impostos e logo o IVA! quando até os putos da escola primária sabem que a primeira consequência do aumento deste imposto é uma retracção do consumo que é mesmo o que a nossa economia precisa para crescer. Depois veio aquela medida da privatização da CGD que às primeiras críticas passou para… “ok! só uma metadinha, então…”. Com adversários assim… não deve ser preciso apertar muito…

-

E Sócrates deu-lhes forte e feio. Acreditem nisto: eu sei que há muita gente contra ele mas a lábia deste homem é viscosa e infinita. Queira Deus que até Junho… não dê a volta ao bico do prego! É que eu, para este peditório do “estamos-fartos-do-gajo-que-não-vale-nada-e-é-tão-fraquinho-e-vai-perder-de-certeza-porque-ninguém-vota-nele-mas-depois-acaba-por-ganhar-com-uma-maioria-do-catano”… já dei! E custou-me! Estou farto de imbecis! Às vezes o povo… pá! mete cada barrete…

-

E sendo assim, vendo que o Coelho não se “chega à frente”, e antes que o “Paulinho das Feiras” se meta ainda mais em bicos dos pés, andei a cogitar (coisa rara em mim) e aqui lhe avanço, de borla, alguma ideias da minha lavra para ver se esta cena vai para a frente. Se isto fosse invadido ou comprado em hasta pública por uns gajos fixes até era capaz de ser porreiro, mas um homem afeiçoa-se ao país e custa… não é?

-

Então, para ajudar essa luta titânica de reduzir a despesa pública e assim conseguir baixar o défice, eu proponho as seguintes medidas (Pedrinho… toma nota!):

-

1) Podia começar logo por reduzir o número de deputados para 1/3 dos que lá estão. 230 para quê? Para fazer o que estes fazem (pouco ou nada e o nada é sempre mau demais) muito menos chegavam. Por acaso têm visto ultimamente algum debate em directo? Aquilo é de partir a moca a rir. Parece uma turma daquelas do liceu onde juntavam os repetentes. Mau demais para ser verdade… Andou o nosso Afonso Henriques a espetar surras na velha para isto… Se se tivesse entretido a pentear o cavalo…. Tinha ganho mais. Coitadinha da senhora… E era mais velha…

--

2) A seguir podia acabar com o “sem-fim” de institutos públicos, fundações e outras merdas criadas com o propósito único de empregar a rapaziada do partido e aqui sejamos claros, o grande puxão de orelhas devia ser para o Guterres que agora anda a brincar aos refugiados mas foi o inventor da coisa. Alguém tem dúvidas? Eu imagino a quantidade de trampa que não haverá espalhada por mil e um organismozinhos de ca-ra-cá-cá escondidos na penumbra com muita gentinha de plástico a fazer nenhum e a ganhar muitos milhares de euros. Derreter essa porcaria toda. JÁ! Tudo o que é acessório: FORA!

--

3) Acabar com os vencimentos milionários dos gestores públicos de empresas que façam falta era outra medida acertada. Se querem ser milionários podem ir para o privado ou então directamente para a puta que os pariu sem passarem pela casa de partida. Se é Estado tem de ser justo e equitativo e proporcional aos rendimentos dos outros. Ganhar mais que o chefão, seja ele quem for, bater mais que o mais alto magistrado da nação, é mau! Não se faz! Desmoraliza! Ah… é verdade… o PSD acabou de votar contra esta medida. :( Ups…

-

4) Terminar de vez e de rompante com o sigilo bancário. Quem não deve, não teme. Quem não tem nada a esconder, não esconde. Acreditem que muita lebre se iria levantar…

-

5) Já vai sendo altura dos bancos pagarem impostos a sério. Os gajos que vendem massa sorvem o tutano ao pequenote e tomam banho nos lucros. Se têm lucros devem ser tributados e estes mais do que qualquer outros. As empresas, sobretudo as graaandes empresas também devem ser chamadas à razão.

-

6) Acabar DE VEZ! com as “offshores” deve ser outro desígnio nacional! As offshores são um escândalo, uma vergonha, um pipeline que expele divisas e finta os impostos. São simplesmente inadmissíveis sobretudo aos olhos dos trabalhadores por conta de outrém que não podem fugir com um tostão. São sempre os mesmos a ir no andor.

-

7) Sejamos claros: o nosso Exército é meramente decorativo. É de acabar. Se algum dia dá na marmita de um louco qualquer a ideia de entrar por esta cena adentro… vai tudo a eito. Exército para quê? Submarinos para quê? Mais vale pagar as quotas da Nato e rezar todas as noites aos americanos para que nunca nos falhem. Mal por mal… Os quartéis deveriam ser substituídos por outdoors de dimensões gigantescas com o dizer: “Somos pacíficos! Vamos conversar…”. Podia ser que a ajuda chegasse enquanto os gajos liam a coisa.

-

8) A Justiça não funciona porque interessa que assim seja. Quem não se sente, não é filho de boa gente. Então um gajo mata uma cachopa e apanha 15 anos?!?!? Depois vem o Papa, há eleições, muda o horário para o de Verão e ao fim de meia dúzia de anos temos o gajo sentado numa esplanada ao lado dos pais da miúda, a beber uma Green Sands descansadinho por uma palhinha amarela… Não há direito! Pariu! A justiça deve ser a doer. Antes a Lei de Talião! Também defendo que os julgamentos devem ter um prazo fixo de duração: Automático, na hora, semana… 1, 2 ou 3 meses, no máximo, dependendo da complexidade da coisa. Mas faz algum sentido terem andado anos com aquela novela da Casa Pia para agora o Bibi e meia dúzia de putos virem dizer que afinal era tudo mentira? E vai começar tudo outra vez? E a gente a pagar? Ai…… Se mentiram era cortarem-lhe a língua e pronto. Haviam de ver os outros a ficarem finos…

-

9) Já vai sendo tempo de explicarem às criancinhas que nem todos podem ser doutores e em breve ninguém vai querer ser. Sabem porquê? Porque dantes, ser doutor significava ter um futuro, ter uma perspectiva de carreira. Agora ser doutor, ser mestre, ser mesmo doutorado à sério quer mais dizer “ser desempregado qualificado” do que outra coisa qualquer. Precisamos de carpinteiros, de electricistas, de quadros técnicos que arregacem as mangas e lutem pelo seu negócio. As escolas comerciais devem ser desenterradas e as pessoas devem começar a pensar PRÁTICO! Há que ganhar euros para viver! VAMOS MEXER-NOS! Fechem Universidades, fechem cursos que não têm saída, não andem a enganar as pessoas!

-

10) Temos de reabilitar a nossa indústria, as nossas pescas, a nossa agricultura… enveredando pelo caminho da excelência e da autenticidade, aquilo que nos distingue. Ainda hoje ouvi na rádio o dono de uma estufa de tomate que exporta toda a produção para o Reino Unido. É de tal forma bem sucedido que emprega quase 100 pessoas e factura a valer ao ponto de até ter merecido a visita daquele rapaz inglês que tem as orelhas grandes e por acaso é filho da rainha. Vejam bem… Os vinhos, os enchidos, os queijos, os leitões, os porcos, as vacas, o leite, o azeite… o nosso material belíssimo tem de ter saída. Quando aderimos à CEE vendemos a alma aos produtos mais baratos vindos de fora. Vamos reclamá-la, CUSTE O QUE CUSTAR!

-

11) Vamos apostar no Turismo mas no Turismo À SÉRIA! Vamos deixar de andar aqui feitas putas pindéricas e vamos investir em publicidade EM GRANDE nos mercados que nos interessam e vamos deixar de nos andarmos a enganar e a viver de migalhas. Há anos falei com um comissário da polícia de Chicago que visitou o velho continente para conhecer as suas raízes italianas mas ficou maravilhado foi com Portugal. Belíssimo, com uma conservação notável, excelente gastronomia, pessoas simpáticas mas zero de publicidade. “Os jornais americanos estão cheios de publicidade a Espanha e Itália. Portugal… zero!”. Know what I mean?

-

12) Há que ir pensando em refazer o mapa administrativo do país. É assim que querem… é assim que vão ter. Há que ir pensando em eliminar algumas juntas, em fundir algumas câmaras. Há que explicar às pessoas que a ideia de cada um ter direito a ter o seu feudo, a sua capelinha, não é exequível num país à rasca. E há uma grande diferença entre “fazer” e “explicar e fazer”. As pessoas não são estúpidas e compreendem.

-

13) Há que ir pensando em emagrecer o Estado e aqui falo contra mim. Eu também sou funcionário público mas entrei sem cunhas no maior concurso de sempre da administração pública em Portugal (80.000 concorrentes à partida) e entrei por meu mérito, porque precisava e porque me chamaram. As regras do jogo foram mudando e eu compreendo. Hoje o Fisco é mais ágil e high-tech. Há que reformular o peso da máquina mas de uma forma justa e equitativa, negociando reformas com os funcionários de mais idade e dando oportunidade a que os mais jovens e capacitados tomem postos de comando. Deixar as gerações ajeitarem-se. Modernizar os recursos humanos. Preparar-se para o futuro. Extensivo a toda a administração.

-

14) Falando em reformados… eu sou a favor dos cortes nas reformas. Se cortaram a quem trabalha, porque não cortar a quem vive à sombra dos anos de trabalho? Também aqui há formas justas de actuar. As reformas abaixo do salário mínimo nacional são intocáveis. Aliás, não deveriam existir reformas abaixo desse limiar de subsistência. Agora… se formos subindo no montante, sobretudo acima dos 1500 euros… não cortar porquê? Acham que os juízes desembargadores e essa rapaziada abastada não pode ajudar? As pessoas que se reformaram na casa dos 50, com boas reformas e esperança média de terem mais 30 anos de “bem-bom” pela frente têm de perceber que se não ajudarem, rebenta e quando rebentar, rebenta para eles também. Temos de ser unidos neste esforço de salvar o país.

-

15) O Rendimento mínimo faz sentido para quem verdadeiramente precisa e o escrutínio deve ser rigoroso. Terminar de vez com os indigentes que coleccionam subsídios deve ser um objectivo comum de quem trabalha para lhes pagar.

-

16) Temos de pensar numa política que controle a imigração. Deixar entrar o pessoal todo deu o que deu na França de hoje. Não concordam? Um país é como uma casa. Se deixamos entrar malta a mais, falta para os nossos e qualquer dia já nem nos deixam mexer no comando da televisão. Isso! Contem-me histórias…

-

17) Devemos estimular as jovens inteligências deste país para quem fiquem e nos ajudem. Devemos dar bolsas mas não às cegas! Devemos dar e pedir que nos expliquem onde o andaram a gastar e de que forma podemos ganhar todos com isso.

-

18) Devemos apoiar as pequenas empresas e estimulá-las para que continuem a dinamizar o tecido empresarial e o país…

-

19) Devemos… Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh devemos montes de coisas mais mas já não digo mais nada porque já vou longo e é tarde e assim faço a papinha toda ao Passos Coelho e não puxo por ele. Podia dizer muito mais mas não digo mais nada e até me custa a acreditar que haja pessoas com coragem para ler isto tudo. Olha… pelo menos a mim fez-me bem. Estou mais calmo e sempre poupei 50 euros da consulta.

-

Termino com uma mensagem de esperança. Porra! Portugal tem tudo para triunfar. Devemos ser o país da Europa com melhores condições para ser bem sucedido. Temos tudo! Uma posição estratégica no globo, uma costa fabulosa, solos do melhor que pode haver, um clima esplendoroso, temos história e cultura, temos um povo trabalhador que é gabado para onde quer que vá pela sua humildade e pela sua capacidade de trabalho… Então falhamos porquê? Para mim, é porque quem nos governa, quem nos tem governado não presta! porque está mais preocupado em se governar a si primeiro. Já vai sendo hora, não de “amainar a trouxa e zarpar” como dizia o bom do Zeca, mas hora de AGIR!

-

Tenho dito!

7 comentários:

gi disse...

Ate fiquei sem fôlego. É bom que pensemos assim, estamos a caminhar a passos largos para o abismo. Vamos vivendo um dia de cada vez... o amanhã poderá ser pior que o hoje. Haja alguem que tenha a coragem de mudar o presente para que possamos ter futuro.

Fátima disse...

Depois de ler tudinho até fiquei sem palavras!!!!
Poderia ser tudo tão mais simples.
Mais uma vez puseste o dedo na ferida.
Passar bem!

Helena Barreta disse...

Apoiado. Onde é que assino?

Mais um texto como nos tem habituado, lúcido e certeiro.

Bom fim de semana

Um abraço

@n@bel@ disse...

Clap...clap...clap...muito bom

Victor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Victor disse...

Pedro, se quiseres envio-te o contacto do Francisco Louçã (BE)
Um Abraço.

luis disse...

epa as ideias sao boas mas esqueceste da principal que era acabar com todos os politicos que la estao que a maioria vem do tempo da ditadura e tem se vindo a arrastar de tacho para tacho...
nos portugueses deviamos dizer basta e a primeira medida devia ser governantes novos porque nos tugas deviamos estar fartos deles porque a equrda ou a direita sqo os mesmos a muitos anos por isso para que procurar todos eles tem culpa entao vao levar nas nalgas que ja sao grandes o que nos precisamos e de gente nova e que consiga ter qlgum interesse em levar o pais para a frente porque estes querem e tacho....