domingo, 29 de maio de 2011

Disco voador à vista (e como brilha…)



O novo disco dos Clã é uma preciosidade concebida em absoluto estado de graça ou não fossem eles uma das bandas mais talentosas e criativas que este chão luso pariu nas últimas décadas. E só por displicência é que pode ser catalogado como sendo um disco para crianças. Quando muito é um disco para crianças inteligentes e para adultos que cresceram contrariados por não quererem afogar em maturidade a infância que carregam dentro.


É uma obra-prima repleta de músicas que poderiam ser hit singles e é provavelmente o disco perfeito para explicar às crianças toda a força que a música encerra em si. Este pode muito bem ser o disco que os fará perceber que a música é muito mais que um refrão orelhudo que se trauteia no carro a caminho da escola. Por aqui descobre-se que tem esse poder avassalador de nos mostrar mundos novos, de nos fazer olhar para dentro e à volta e perceber coisas que não seriamos capazes de alcançar sem ela.


Eu fiquei rendido aos seus encantos e oxalá vocês também porque aqui tudo é filigrana: letras belíssimas, acutilantes e de encantar (que versam temas como amor, o desemprego ou a homosexualidade); melodias hipnóticas que encaixam à primeira, um som luxuriante… enfim…


Assim… vale a pena ser petiz!


Ps: E eu que cresci com o “Joana come a papa” do Barata Moura… Estes putos são levados ao colo…


2 comentários:

Artur Sequeira Portela disse...

Uma das melhores bandas portuguesas.

Catarina disse...

ADORO!
Parece-me que esta dos Embeiçados não será muito difícil de descobrir os acordes.

E crescer com o Barata Moura não foi nada mau, já ouviste a versão dos Deolinda do Fungagá da Bicharada? Muito nível!