sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

To speak your mind out! (Dizer o que te vai na gana!)

Imagem do Speaker’s Corner em Hyde Park, Londres. Mais um colega! (só que este tem menos audiência!)



Um grande salto este meu… que me levou ao desconhecido sem me deixar recordações do outro lado. Por muito que me perguntem as pessoas, lembranças do coma não tenho nem a primeira o que tem de ser necessariamente um sinal positivo porque aplica-se mesmo a velha máxima: “no news are good news”. Nem visões apocalípticas, nem revelações, nem nada!, o que tem de ser necessariamente bom porque a sensação era a de estar bem, era a de estar a dormir tranquilamente. Os dias agora em casa são passados entre exercícios diversos, caminhadas de quilómetros, natação, esforços múltiplos porque para sestas e descansos não há pachorra! Para aí já dei! Esforço-me imenso diariamente para recuperar a minha forma física porque sei e sinto que tenho ainda muito para andar até poder estar aproximado ao nível em que estava. O difícil é quando um homem independente que estava possibilitado de tudo e de chegar a todo o lado se vê assim, de um momento para o outro, aprisionado numa redoma que o limita! Querer fazer e pedirem-lhe que não vá sozinho, que não faça, que tenha cuidado, que não ficam em descanso se fizer o que tem vontade porque os riscos estão sempre aí e são muitos! Quando somos pequeninos, é muito habitual ouvirmos que não, que não podemos, que não nos possibilitam. Quando se tem quase 40 anos é bem diferente porque o sentimento é também outro! Ninguém está preparado para isto, para esta volta enorme, para reaprender praticamente do zero. Tudo tem de ser muito bem pensado ao milímetro. Aquilo que parecia fácil, aquilo que era pêra doce, aquilo que não custava mesmo nada tem de ser muito bem medido sob pena da ficar mal na fotografia, que é coisa que ninguém quer, muito menos quem passou por um aperto destes! E assim vamos levando os dias, sempre apoiados e com a ajuda de amigos que se prontificam disponibilizando o seu contributo e o seu apoio.


De resto, o vosso escriba tem os mesmos gostos de sempre que se mantêm inalterados porque aí não deixou que lhe mexessem! Os gostos que sempre alimentaram este blogue, as paixões que são óbvias e se conseguem imaginar através da leitura não mudaram nada! Podiam mexer em todo o lado mas aí não que o fusível apitava e tocava o alarme. O que falta para esse regresso ser em pleno é que valores mais altos se levantaram e havendo esta questão óbvia de recuperação para analisar, sobrepõe-se a todas as outras. Demos-lhe tempo, então. O seu a seu tempo virá!


Bem hajam vocês, seguidores, fiéis, leitores que nunca abandonaram o barco e me fizeram compreender por A+B que este blogue é mesmo o tal espaço, o local certo para me poder desbocar e deitar cá para fora aquilo que me vai cá dentro sem pressões, sem controles, sem censuras e /ou limitações. E quanto não vale isso, ter um Speaker’s Corner assim virtual e tão bem concorrido? Vale tudo! Ainda bem que me lembrei da password!

4 comentários:

Catarina disse...

Já estive no Speaker's Corner, numa gelada manhã de Abril, há uns anos, a ouvir discursos.

Infelizmente só apanhei pessoas que falavam sobre religião, que é tema que não me apaixona.

Mas tens toda a razão, poder dizer o que te vai na gana é óptimo e muito libertador. É mesmo um direito, que deve ser exercido.
Escreve muito, então, que a gente gosta!
Bj

Helena Barreta disse...

Escreva quando e o que quiser, mas escreva.

Um abraço

Carla & Marco disse...

E que falta fazem os teus comentários sobre a actualidade Marvanense...

@n@bel@ disse...

Ainda bem que te lembraste da password, isso é que é uma grande verdade :-D