segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O Dia do Jovens! (Táss bem!)

(Ficou giro, não ficou? Eu que fiz. Olaré!)


Eina pá, maaaan! (como a malta agora diz…). Foi uma festança do caraças!

Grande, grande malha! Como eu nunca pensei… a sério!

Apesar de ser o vereador com a responsabilidade do Pelouro da Juventude, ainda nunca me tinha aventurado numa comemoração do Dia Internacional com este balanço todo e isso tem uma explicação. Sempre defendi que quando existe iniciativa privado ou associativa, a missão da autarquia deve de ser estimular, apoiar e não “meter o carro à frente dos bois”.

Assim, no primeiro 12 de Agosto em que estive no executivo, incentivei a Maruam, a única associação de jovens do concelho com actividade regular, a organizar um dia dedicado à juventude. Recordo-me que com o apoio decisivo do IPJ, na pessoa do seu director Crastes, organizámos um dia bem divertido e intenso que começou com uma caminhada entre a Beirã e a Portagem passando por Marvão e se prolongou com um almoço, um dia na piscina e com concertos de uma bandas que ensaiavam no edifício do IPJ.

Nos dois anos seguintes, o Jorge Rosado, então Presidente da Maruam, soube ser inteligente e conseguiu que o IPJ continuasse a apoiar a iniciativa (chegámos a ser anfitriões do Dia da Juventude do distrito!), dando primazia a Marvão e estendendo as actividades a áreas bem interessantes como os desportos radicais. É óbvio que a autarquia sempre esteve por trás e apoiou em tudo mas assumiu aqui claramente um papel secundário.

Neste ano, pelos vistos, a actual direcção não tinha intenção de fazer nada e eu decidi meter mãos à obra. Comecei a puxar pela cabeça, a pensar no que é que tinha para oferecer, no que podia arranjar, lembrei-me do pedido que o Vaz Guedes, jovem guitarrista de Marvão me fez em tempos (de poder tocar com a sua banda na terra e no concelho onde vive) e… fez-se um programinha que me pareceu bem… curtido.

Dia na piscina à borlix, um churrasco no final da tarde com Dj de fundo, duas bandas em concerto e música noite fora. Bem mais interessante do que o que nos propunham para este ano os responsáveis pelo IPJ num ofício muito formal. Queriam debates sobre o desenvolvimento sustentável… Em Agosto? Está bem, abelha! Estes gajos não devem se saber para quem é que estão a trabalhar… é de loucos!

Juventude é liberdade, é curtição, é viver a vida a 100% e foi isso que eu lhes quis proporcionar que preocupações já têm eles bastantes com SIDAs, drogas, o desemprego e a falta de oportunidades a toldarem-lhes o horizonte.

Esgalhei o cartaz que me pareceu que ficou porreiro, divulgámos por todos os estabelecimentos comerciais do concelho, na página e no blogue oficiais da câmara, por mais de 2.000 e-mails e através de 1.500 postais que seguiram por correio com o programa em miniatura. Com tanta divulgação, deixou de ser válida a desculpa do “não sabia de nada” e fez-se justiça porque a malta deu uma resposta irrepreensível.

Para começar, a piscina esteve composta durante toda a tarde com muitos grupinhos a circular e o andamento fazia prever uma boa casa mas quando nos aproximámos das 8h da noite, foi um autêntico corrupio. A pé, à boleia ou transportados pelos pais, eram mais que muitos e tivemos de pedalar para estar à altura.

Os dois mestres de culinária destacados para os assadores, Manuel Filipe e Benvindo, por muito boa vontade que tivessem, não davam para as encomendas e valeram-nos os amigos Sabino e Vítor Conchinha que ao verem-nos em apuros, se bateram como uns valentes de volta das brasas para que não faltasse nada a ninguém.

Foi de tal maneira que os 20 Kg. de carne encomendada só deram para abrir as hostilidades e os 350 papossecos desapareceram num abrir e fechar de olhos. Programar um evento destes de raiz é um verdadeiro tiro no escuro e por mais prognósticos que se fizessem, ninguém poderia adivinhar uma afluência daquelas, chegada de todos os pontos do concelho, da Beirã à Escusa, de Santo António a Marvão e até de Valência e Castelo de Vide.

Valeu-nos o Don António que estava de sobreaviso ao talho para caso de enchente e o pãozinho recém-tirado do forno do nosso amigo João Gordo para desenrascar a coisa e de certeza que ninguém ficou com fome porque deu para todos e ainda sobrou um pouco.

Depois de um aquecimento com os temas do momento pelo habituée Dj Reis, o Dj oficial do meu mandato, seguiram-se as bandas que estiveram a bom nível.

Os Mad Goblin supreenderam-me pela qualidade e pela originalidade. Fazem um som muito na linha dos Metallica, com uma grande similitude sonora e a denotarem uma clara influência. Cedo se afirmaram pela coragem e arrojo (só tocaram originais!) e conseguiram prender a assistência do primeiro ao último minuto da sua actuação. O nosso conterrâneo brilhou na guitarra solo, gostei da voz/baixo e o baterista também esteve em bom plano. Falta-lhes rodar e apurar o som mas têm tudo para dar nas vistas. A margem de progressão é enorme.

Seguiram-se os Jukebox que tocam pelo prazer de tocar e isso nota-se de imediato. Oriundos de Peniche e especializados em covers, abrangem um universo musical que anda pelo grunge, pelo hard rock e por algumas linhagens mais alternativas que foram do agrado dos presentes. O baixista é o elemento mais discreto mas o baterista é de muita qualidade, gostei também da guitarra e gostei muito do vocalista que tem um vozeirão e presença em palco. Standarts punk, hinos fm, enfim… de tudo um pouco ali se podem encontrar em cópias quase fiéis mas sem deixarem de ter um cunho próprio. Na minha opinião, faltam-lhe as teclas para encher o som e umas vozes para os coros. A versão do “Wasted Years” dos Iron Maiden já com a ajuda no backing vocals do nosso amigo do bar de Peniche transformaram por completo a versão, elevando-a a um outro patamar.

Já na fase dos discos pedidos, lembrei-me do “Evenflow” dos Pearl Jam, já não faço a mínima ideia porquê. “Essa não sei a letra” disse-me o gajo. “Quem é que sabe?” perguntou o do lado. Como ninguém se atrevia, pedi o micro e olha… foi o que Deus quisesse e eu acho que ele quis porque mesmo não tendo certeza da lírica toda, pelo menos diverti-me a bom valer e eles, pelos abraços que me deram depois, acho que também. Foi do camandro!

Depois… depois mandaram-nos calar porque já eram horas e tivemos de acabar com as cantorias e meter só um somzinho mais baixo para não incomodar as vizinhanças. Eu respeito mas custa-me…

Tenho o maior respeito pelas pessoas de idade. Reconheço que têm direito ao seu descanso mas amola-me que o meu concelho seja assim. Marvão é um concelho lixado para se ser jovem. Nem uma simples festa se pode fazer. Eu gostava de saber se em Paredes de Coura ou em Vilar de Mouros ou na Zambujeira do Mar também é assim… Nem um dia nos dão… Está de Rockfests, está… A tolerância é zero e eu também já vou perdendo a minha às vezes. Uns só querem os velhos que vão na conversa fiada e se manuseiam com admirável facilidade. Eu que só quero é novos e por isso hei-de sempre estar orgulhosamente do lado errado.

Mas enfim… não falemos de coisas tristes

O que importa é que para a posteridade há-de ficar uma tarde / noite memorável que não iremos esquecer.

As fotos falam por si…

A todos, todos os envolvidos que estiveram ligados e tornaram possível esta emissão…

O MEU BEM HAJAM!

Valeu!

A representação de Areias e Beirã
- Porto da Espada, Alvarrões, Marvão, Galegos...
-
Parecia um casting para os Morangos com Açúcar

O homem estava contente, pois claro.
Por falar em casting... Eu concorri para ser o Setôr de Física



Aquilo era abrir as carcacinhas e "cá vai disto!"

Estas eram de Valência de Alcântara. Les encantó!

O Tarouco... José Guilhermino, técnico exímio e paciente... este homem já nos aturou tanto que já ganhou o céu...

Dj Reis em plena actuação. Agora faz tudo por computador... Muito à frente!

Este jovem, ou melhor, esta promessa de juventude não deixou o crédito por mãos alheias... Vejam só como se bate com o courato! De nível!

Um pouquinho mais de sal e... voilá! Estão no ponto!

Tantos! Faziam fila! Bicha pirilau!

Ai, señor António... muchíssimas gracias... ui... que rico está todo...

Mad Goblin no arraso inicial

Esta vai para a revista "Caras Decoração" de Verão

Sabino explica a Manuel Filipe como é que conseguiu o milagre da multiplicação da bifana enquanto Benvindo, recém-convertido ao hinduísmo, se ri da táctica alheia

O jovem Conchinha posa com duas modelos desconhecidas que estavam de passagem para um desfile em Milão e pararam a pensar que ali era uma estação de serviço

A Jukebox estava a bombar!


Panorâmica do 3º anel do anfiteatro


I know... it's only rock'n'roll but I like it!

O final em apoteose

A foto final, derradeira, decisiva e oficial com elementos das duas bandas e demais pessoal amigo. Tudo 5 estrelas! Também apareço eu e o Paulo David com um indesmentível ar de felicidade. Estes miúdos era tudo pessoal do melhor!








1 comentário:

tileguy disse...

Sabi Vedder rules, ehehe