quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O comando é MEO


E eis que quase 8 horas depois, dou por terminadas as operações de instalação do MEO na minha casinha que entra assim de rompante na era da televisão do futuro.

Custou… mas foi e ficou… 5 estrelas! Oh yé!

Foi uma tarde inteira a passar fios, a descobrir as passagens de caixa de parede a parede que tão bem preparei aquando da construção e que se deixaram de ver depois da casa ser pintada (typical me), e basicamente a servir de servente ao mestre, ora a desenroscar parafusos de tampas de ligação, ora a varrer os restos de fio e por aí fora.

Eu não sei se é da idade mas estas coisas já começam a incomodar-me com muita antecedência. Havendo a previsibilidade desta operação me revirar a casa por completo, deixando tudo de patas para o ar como de resto veio mesmo a acontecer, passei a noite inteira sobressaltado, a andar com escadotes em sonhos de um lado para o outro, ao ponto de acordar cansado. A idade tudo traz.

O técnico ligou-me 7 minutos depois da hora marcada e fiquei impressionadíssimo com o que veio a seguir. Todos nós sabemos que o país está, sobretudo nesta altura de crise, pejado de gente estúpida e malcriada e o mais certo é, quando algum desconhecido nos tem de entrar em casa, seja para vender rifas do Patriarche ou para montar seja o que for, que seja um desses gloriosos exemplares. Maneiras que eu estava assim com receio. Imaginava que seria um gajo assim muita mal disposto, que já viria escaldado da última instalação e ultra-aborrecido com a que iria fazer a seguir, daqueles que acendem um cigarro assim que metem as botas cheias de lama no hall de entrada e que mal abre a boca a não ser para arrotar, bocejar ou dizer mal do nosso clube de futebol.

Para ser sincero, temi que hoje me tornasse num serial killer ao não resistir aturar uma alimária destas e já com o cérebro atrofiado de tanta asneira lhe decidisse enfiar o ferro de engomar da minha mulher pelo crânio abaixo.

Não podia estar mais errado, meus amigos! Viva a gente! Tocou-me um rapazinho muito bem apessoado e apresentado, muito educado, ultra-profissional, com uma paciência fora do comum para aturar a minha insuportável curiosidade sobre o sistema, em suma, do estilo daqueles que toda a sogra quer para genro. Sim, senhor. O homem superou todas as expectativas. Não abria a boca sem dizer “se faz favor”, “obrigado” e “com licença”. Ouve até uma altura em que me deu pena dele que devia de estar tão cheínho de sede de fazer tanta força a puxar a merda da bicha que não passava nos tubos estreitinhos que lhe dei um copinho de Ice Tea e ele disse que tava bom e tão fresquinho. Horas depois pensei, “passado tanto tempo és capaz de estar à rasca para vá, dar uma mijinha ou assim” e não é que estava mesmo? Só que vocês haviam de ver a delicadeza com que o rapaz pediu se podia usar a casa-de-banho. Se eu tivesse uma empresa destas cenas, contratava-o na hora.

Nisto dá o Sócrates a falar na televisão do famigerado caso Freeport, já com o MEO em actuação com uma imagem cristalina e quase de alta definição e eu a pensar “ai Zézinho, Zézinho. Se apanhasses mais meia-dúzia destes como eu apanhei hoje, havias de ver isto a andar para a frente…”.

Depois de instalados os 3 receptores e o router da Internet, preparei assim um lanche-convívio que depois de tanta simpatia, não podia deixar o moço ir daqui com o estômago a dar horas. Nem uma cervejinha sem álcool quis beber. Meteu ali uma ou duas buchas de queijo, um copinho de sumo e “ala que se faz tarde”, mas não sem antes eu me ter apresentado, disponibilizado os meus serviços, dar um apontamento para um cafezinho e pedir o seu nome para que possa mandar um mail para a Visabeira a elogiá-lo perante as chefias. Sim, porque nós os portugueses, temos a mania de reclamar de tudo e de nada nos locais públicos mas quando chega a hora da verdade e em sede própria, cada um foge para seu lado e mais difícil ainda, é termos coragem para dizer bem seja de quem for ou do que for porque o mal tem muito mais piada e dá sempre pano para mangas.

Depois fui varrer tudo, passar o pano, arrumar as mobílias, retirar os equipamentos obsoletos e ajeitar os modernaços e sentar-me no sofá com uma felicidade tal de missão cumprida que até parece que estava na Mansão da Playboy a beber um Dry Martini com o Hugh Heffner.

Bom, esta cena do MEO é mesmo do melhor. Fogo! Que nível! Para já é por cabo, o que garante logo uma fidelidade digna de realce. Depois a caixinha preta é um mundo autêntico mesmo para quem só teve alguns minutos para fazer um lamiré geral: dá para aceder um guia de canais que disponibiliza pré-visualizações do que está a dar nos outros e do que vem a seguir; dá para gravar tudo e mais alguma coisa e passar para uma pen, por exemplo; dá para comprar e desistir de canais na hora, com uma autonomia total; dá para aceder a um Videoclube com centenas de filmes disponíveis por preços muito mais em conta que nos cinemas e sem sair do sofá; parece-me que só não dá para fazer uma coisa que eu agora não posso aqui dizer porque há senhoras a ler e a minha mãe também, por isso… (isto da censura auto-implícita é uma porra!).

E a Internet???????? Ahahahahahahahah. Lindo! Velocidades quânticas, estonteantes, cruzeiro, mais rápidas que a própria luz! Isto para um gajo que foi um dos percursores da internet no concelho (posso provar), mesmo dos primeiros utilizadores registados, há mais de 15 anos atrás, com computadores com discos rígidos de 512 MB e quando o tráfego fluía a 1.2 Kb por segundo. Seria? Será que era mesmo assim? Já não me lembro bem mas recordo-me perfeitamente que havia um site de celebridades nuas que eu frequentava e que para abrir uma foto demorava tanto tempo que começava a ver-lhe os seios quando o sol batia na janela do meu quarto de solteiro e chegava ao umbigo já a lua ia alta. Eina pá, isto agora é a bombar, mesmo! Diz ali 54 Mega bytes por segundo e ainda por cima… sem fios! Completamente sem fios! Isto de estar sentado na pedra, como diz o meu compadre, ou seja, na sanita a ler o New York Times ou a ver a CNN Live, em pleno Bairro dos Outeiros, tem que se lhe diga! Muita bom!

Olha, Deus queira que a guerra e o degelo dos glaciares agora não estraguem esta cena porque isto está impecável!

PS: Haviam de ter visto a cara da minha filha hoje de manhã quando lhe disse que quem vinha montar o sistema eram os próprios Gato Fedorento. Não queria ir para a escola, a pobre. Eheh.

PS1: Já agora, se há por aí alguém que saiba mexer nisto, será que me podia fazer a franqueza de me ensinar como é que se vê o Canal Vénus nesta cena? É que hoje é quinta-feira e eu queria tanto meter aquilo a gravar…

Como?

Não se vê?

NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃO!!!!!!!!!

3 comentários:

Clarimundo Lança disse...

Bem vindo ao Clube.
Mas... como é que é isso de gravar para a pen, HUMMMM., num dá?
Abraço

Zé Maria Grande disse...

Deixa-te lá de canais "Vénus", e outros que tais... Agarra-te mas é aos "Estudos de Mercado", se não tens o "velho" à perna!!!

Garraio disse...

MEO - MENTIRAS,ERROS E OMISSÕES.

Espera que estejas a ver um benfica porto e o Suazo engate um pontapé de fora de área e... de repente, a imagem pára. só vais saber que foi golo, dois minutos depois.

Eu cá, só tenho a dizer que, com a mudança, pedi que me mudassem o serviço no dia 29 de Dezembro, pensando eu, (pobre de mim, que com 45 anitos ainda continuo a acreditar no Pai Natal...) que era uma coisita pra fazer de um dia para o outro.

No dia 2 desligaram-me o telefone, no dia 5, a primeira box; a segunda foi dois dias depois e sem internet fiquei no dia 8. Entretanto tinham agendado para instalar no dia 9. Nem vieram nem avisaram.

Passado da carola, chamei tudo menos santos ou santas a 50 gajos do call center, sendo que eles não têm culpa, mas eu também não a tenho.

Depois agendaram para dia 23, vieram cá e puseram um cabozito na parede. A ligação não ocorreu, porque estava a chover muito e era
preciso fazer umas ligações numa caixa que está nas Portas de Ródão.

Agendaram para dia 2 (próxima segunda), mas entretanto voltaram a ligar a dizer que vinham hoje. Veio um rapazito, que só conseguia ligar se eu morasse na Portagem, mas como moro em Marvão, já não podia.

Neste momento, não sei quando será a próxima visita, ainda não está agendada.

Esperarei pacientemente que todo se instale e comece a funcionar. Para desistir da MEO, no dia seguinte.