quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Sonhando acordado


Por incrível que pareça, ainda assim, há gente que me cobiça a condição.

Que “é só vida boa…”, que tenho “sorte de levar os dias deitado…”, que “agora é que é só descansar e ver televisão...”

Pois é… mas o que eu acho mais engraçado é vê-los responder que “nem pensar!!!” quando lhes pergunto se nesse caso, aceitam trocar de lugar comigo. Eles ficariam aqui “a gozar”… como dizem, e eu passaria para o lugar deles, podendo assim caminhar sem dores e limitações, ir para onde eu quisesse, à horas que quisesse sem depender de ninguém, podendo correr, nadar, andar de bicicleta, podendo tomar a minha Alice ao colo (ainda não percebeu que não dá… a pobre… ainda me estica os bracinhos…) podendo conduzir outra vez, podendo beber um belo dum tinto com uma posta de bacalhau cozido e podendo desfrutar de uma imperial no Choca, com um pratinho de tremoços, enquanto leio o Correio da Manhã fresquinho e admiro o jardim pela vidraça.

Coisas simples. A cada dia que passa percebo melhor o Peter Falk das “Asas do Desejo” do Wender que a primeira coisa que quis fazer ao cair dos altos ceús foi beber um cafézinho na primeira roulote que apanhou aberta. Coisas simples…

Realmente não me posso queixar. De todo…

Tenho televisão, portátil e internet, telefone e telemóvel, filmes, discos, revistas, jornais e livros, guitarra para ensaiar, comida, cama, roupa lavado e sobretudo… muito amor, carinho e compreensão. Tudo coisas que ajudam a quem tem de passar os dias deitado (sentado nem pensar!!!), com precárias de 10 minutos para ir à casa-de-banho ou tomar uma refeição.

Nestes dias sempre iguais tem-me valido o cinema, definitivamente, a melhor forma de sonhar acordado e uma das paixões da minha vida. As sessões triplas diárias têm-me ajudado a dar baixas na infindável lista de filmes “a ver” e assim consigo viajar tanto, no espaço e no tempo, sem sequer sair do lugar. Tanto posso andar pela América Latina a decifrar enigmas ancestrais, de chapéu e chicote na mão na companhia do meu amigo Dr. Jones, como na hora seguinte me mudo para uma Nova Iorque futurista para dar uma mãozinha ao Will Smith na sua luta desesperada para salvar a humanidade de um vírus mortal. Por estes dias, já andei com um Tom Cruise zarolho a ver se matava o Führer, já ajudei o Jake Gyllenhaal a apanhar o serial killer do Zodíaco, já passeei por uma Paris ébria pela mão de Gainsbourg, já me juntei a Robin de Locksley na sua luta desigual com o maléfico Rei João, já andei perdido em Las Vegas, depois da mais louca despedida de solteiro de todos os tempos… enfim… vivendo a vida de outros…

E cumprindo à regra uma das minhas máximas: “always look on the bright side of life!”

PS. Por falar em coisas boas: já viram a qualidade dos políticos que temos? Aqueles sujeitos nem assim conseguiram chegar a um acordo… mesmo sabendo que ao defenderem os interesses partidários, colocam em risco os supremos interesses do país. É o que eu digo sempre: estamos bem entregues, estamos…

2 comentários:

Manuel disse...

Amigo que tudo corra bem.
Com o caracter que te conheço e meio caminho andado para a recuperaçao.
Felicidades, um abraço

Helena Barreta disse...

Por agora é mesmo o melhor que tem a fazer, distrair-se e ver a vida pela janela. Sei bem o que sente, também estive refém durante 2 meses. Haja paciência e calma, os miminhos e compreensão daqueles que amamos fazem todo o sentido. É que ficamos lamechas e com os sentimentos à flor da pele, ainda mais.

Continuação das melhoras.

Um abraço