segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Disparar a matar




Sentado a um canto da taberna, alheio a tudo o que o rodeava, um puto olhava fixamente para o seu Magalhães enquanto os dedos martelavam o teclado num ritmo frenético. Reparei no ecrã e, intrigado pelo que via, perguntei-lhe o nome do jogo que tanto o absorvia.

“Counter Strike”, respondeu, com um ar de desdém que premiou a minha ignorância de cota, sem nunca se desviar da acção.

Esse era então o nome do jogo que o colocava dentro da cabeça de um militar que disparava sobre tudo o que mexia. “Quantos mais matares… mais pontos ganhas!”.

Não sei porquê mas dei por mim a imaginar que seria engraçado se o Sócrates entrasse por ali adentro para provar um tinto do novo e se deparasse com a cena.

Na política, como na vida, por vezes ter a melhor das intenções não chega.

2 comentários:

Helena Barreta disse...

Como diz o ditado: "de boas intenções está o inferno cheio"

Será que o nosso 1º conhece Marvão? Se não conhece, nem sabe o que perde.

Um abraço

Artur Sequeira Portela disse...

Este é muito melhor: http://combatarms.nexoneu.com/NXEU.aspx?PARTNERKEY=SVG025GGPT01011

Estou "agarradinho".