terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

(re)nascer

 Se Deus me deu uma nova oportunidade para viver, também eu tenho de saber dar uma nova oportunidade a tudo aquilo que a merece. Voltar a viver não tem sido fácil. Tem sido muito bom mas nada fácil. Muito bom. As coisas não surgem naturalmente mas vão ganhando forma à medida que avançam como quando observamos um pintor e vemos como um quadro ganha forma à medida que os esboços, os riscos e rabiscos se fundem para criar algo grandioso, maior que as partes. Eu não ligava ao facebook mas foi através dele que reganhei o prazer da escrita. Foi graças a ele que reaprendi o prazer de desenhar com palavras. O facebook é muito poderoso mas falível e manipulável. Não permite que tenhamos o espaço para nós. É muito bom para divulgar mas não para dar a nossa opinião, o nosso ponto de vista que é facilmente engolido pela voragem mediática dos facebookeiros. Decidi assim reabilitar o meu blogue, o meu cantinho renascido via facebook. Renascido mas com algumas alterações, a saber:
Já não vou ter aquela ideia de fazer sempre um texto muito grande, uma ideia que me veio desde o tempo em que o blogue nasceu de outro blogue que eu tinha, “o Desabafos de Marvão”, onde colocava os textos que escrevia para dizer na Rádio Portalegre. Mas esses ainda lá estão. Ainda agora fui lá e os encontrei, aqui em http://desabafomarvao.blogspot.pt/. No blogue fica. No facebook passa.
Também já não tenho a preocupação de meter sempre uma imagem para ilustrar o que digo. Posso não a meter. Como fotógrafo sempre fui fraquinho, sofrível. Como na escrita me desenrasco menos mal, é só por aí que vou. Só à escrita.
 Vou ao que quero e sou curto e directo. Também não vou ser bruto. Vou tentar é não “mascar pastilha”. Neste novo mundo das redes sociais, e no nosso mundo em gral, o tempo é precioso e eu necessito dele para a minha família, para a minha mulher, para as minhas filhas, para os meus amigos, para a minha família, para mim, para viver. Não se pode viver no facebook. Só no facebook. É uma boa ferramenta mas tem de ser bem utilizada. Não nos pode comer.
Vou continuar a escrever no português que eu aprendi na escola. Eu quero lá saber do acordo ortográfico e se nós temos de aprender com os países aos quais ensinámos a língua. Escrevo como aprendi em pequeno e se estiver mal, que se lixe. O Miguel Sousa Tavares que eu adoro e pelo qual tenho uma enorme consideração (é directo e diz sempre as verdades) também escreve pela ortografia antiga. Se ele pode e logo no “Expresso”, porque é que eu não? Ai vou escrever assim como o “intelectual” Sousa Tavares (como a filha Leonor lhe chama) vou!. Ai vou, vou. Olaré! Se me vierem entrevistar na rua num daqueles questionários do “Bom Português” da RTP 1 em que o pessoal falha todo e se acerta nem sabe que está a acertar, fujo logo. Ou então começo a armar uma grande confusão e a fazer uma balbúrdia. Chamo os “Homens da Luta”, o grande Jel e o Falâncio e viro aquilo ao contrário!
Já me parece mal alterar o nome do blogue mas a verdade é que está menos certo. “Vendo o mundo” está bem porque é disso que se trata e é assim que vai continuar a ser. “de binóculos” já é um pouco demais. Dos óculos já não me livro porque as dioptrias são muitas. Na maior parte do tempo ando de lentes de contacto mas sem as lentes, nos olhos ou nos óculos, o que eu vejo é pouco ou nada. Difuso. “Vendo o nosso estranho mundo pela cabeça do Pedro Sobreiro” parece-me ser o mais indicado. Mas, como o nome do blogue já está instituído, o endereço criado, já está divulgado por todos os seguidores que gostavam e me falavam nele, vai ficar assim.
Os textos que já coloquei no facebook vão também ser aqui colocados no blogue assim que tiver vagar, para que todos os possam ler. Tenho falado com alguns habituais seguidores que não têm facebook e sei que vão ficar felizes por me poderem reler por aqui.
Eu sei quem são as pessoas que apadrinharam e acarinharam esta ideia. Eu sei quem são. Eles também sabem quem são. Foi neles que eu pensei ao tomar esta medida. Mas não vou nomear nenhum porque não sou capaz de me lembrar de todos e não queria magoar qualquer um. Sim, foram vocês. Sim, foste tu. Obrigado.
Um abraço e vamo-nos vendo, no facebook e por a ui. O método de publicação vai agora ser muito multimédia, muito à frente, em versão bipartida: no facebook primeiro e no blogue depois para quem ainda não aderiu ao facebook e para quem quer esgravatar no que passou.
Sei que esta notícia deve ser mal recebida por quem não gosta de mim. “Este gajo não se enxerga! (Devem pensar.) Tem 7 vidas como os gatos!”. O tio Sabi responde: “eu enxergar, enxergo-me mal de facto, porque sou pitosga. Quanto às 7 vidas estão errados. Também não tenho tantas. (Só ainda…) tive duas! Um Pedro que acabou e outro que (re)nasceu mas mais certo das suas limitações, dos seus compromissos e suas finitudes. Mais pragmático mas ainda mais consciente.
Quem não gosta de mim vai ter de ter paciência. Ainda não foi desta. Podem bem entreter-se com tanta coisa que há na internet, na televisão, nos jornais, dizer mal por dizer… enfim. Que se entretenham com o que quiserem mas que não se metam com quem não se mete com eles. Só busco a paz e a felicidade dos que amo e me amam.
Vou continuar a dizer o que penso e o que quero na vida. Apesar dos conselhos que me deram com amizade e prudência. Vou continuar a ser quem sou. Com a mesma espinha dorsal, a mesma ordem de valores, o mesmo prazer em escrever, em partilhar, em viver.
Assim sendo, siga para bingo!
À estrada, camaradas!

5 comentários:

Helena Barreta disse...

Fico feliz que reactive o blogue, como não tenho facebook é aqui que virei. O que eu esperei por este dia.

Ainda bem que voltou.

Um abraço

Pedro Sobreiro (Tio Sabi) disse...

Minha querida Helena, se é que me permite que a trate assim mesmo sem a conhecer pessoalmente. Sei que era uma visita permanente e nunca falhava nos comentários. Agora dizer que esperou muito por este dia, enche o meu coração de alegria. Ainda bem que ficou feliz. Eu fiquei muito ao ler o seu comentário. Vou voltar e em força, para dizer aquilo que a Helena já espera de mim: a irreverência de pensar sempre pela minha cabeça. Pelas suas visitas, sei gosta como eu vejo o mundo. Chegue-se então aqui à muralha e vamos vê-lo os dois juntos. Isto com o compromisso de assumir publicamente que quando vier a Marvão vai mesmo procurar-me para que nos conheçamos. Toda a gente me conhece por aqui. Devo ser fácil de encontrar. Pela sua insistência, pela sua militância, convido-a para um café, um lanche ou um almoço. Como preferir. Isto é como o Preço Certo do Fernando Mendes e é só escolher. Receba um forte abraço. Pedro

John The Revelator disse...

O blog nunca saiu dos meus favoritos. De tempos em tempos passava por cá para ver se a imagem continuava em "the end". Hoje soube que tinha mudado. Fiz bem em não tirar dos favoritos. Abraço

Pedro Sobreiro disse...

Tu és meu irmão. Meu irmão não é quem quer. Só quem pode. Só 1. Tens uma cadeira sempre vaga e no ponto mais alto para veres sempre os touros do palanque. És novo mas sabes muito. Carne da carne. Sangue do sangue. Nem é preciso falar. Sente-se cá dentro. Abraço

CRISTINA disse...

bem vindo!
já tínhamos saudades suas!!
Cristina