quarta-feira, 16 de julho de 2008

Verão Total 2008











Hoje o Verão em Marvão, foi mesmo total.

Depois do parecer negativo do ICOMOS que comprometeu seriamente o sucesso da candidatura a Património Mundial e da não eleição como uma das 7 maravilhas de Portugal, dois verdadeiros tiros nas asas, tão certeiros quanto injustos; a vinda da RTP para um directo de quase 6 horas, foi um verdadeiro elixir para auto-estima de todo o concelho.

O “Verão Total”, um novo formato que substitui na RTP1 durante o período estival, a “Praça da Alegria” nas manhãs e o “Portugal no Coração” nas tardes, propôs-nos aquilo que eu chamo de verdadeiro serviço público ao disponibilizar-se a sair do conforto instalado na sede no Parque das Nações para percorrer os sítios mais belos de Portugal, mostrando ao país aquilo que o país realmente é.

Tive conhecimento do interesse da produção através de um fax e para ser sincero, pensei que era bom demais para ser verdade. Imaginei que pediriam mundos e fundos mas afinal a única contrapartida da autarquia seriam as refeições e os alojamentos da equipa para além do óbvio apoio logístico com trânsito, equipamentos e afins, coisa pouca se pensarmos que uma exposição mediática desta dimensão é pura e simplesmente inquantificável nos tempos que correm.

Fizemos o trabalho de casa, cumprimos à risca o guião que nos enviaram, indicámos os interlocutores que nos pareciam indicados para cada tema (embora a escolha e o critério final fosse da produção) e penso que o resultado final foi francamente positivo. Traçou-se assim um quadro exaustivo e colorido quanto baste daquilo que é o concelho neste momento, não esquecendo o património edificado e ambiental; as lendas, usos e costumes; os grupos musicais; as associações e instituições; a economia na vertente industrial e agrícola; a cultura nas suas mais diversas extensões; o turismo, englobando a oferta hoteleira local e o artesanato; os produtores e comerciantes, enfim…

È óbvio que houve quem ficasse triste, ou mesmo zangado por não ter sido incluído, mas é importante reforçar que o critério final foi definido por terceiros e aí nada mais nos resta que lamentar. Num programa de televisão não pode caber o mundo inteiro. Não faltarão outras oportunidades.

Pode que agora não tenhamos capacidade para avaliar a extensão deste testemunho mas estou certo que quando uma boa centena de anos lhe passar por cima, é capaz de ter a sua piada.

O público, sobretudo o de fora das muralhas, acorreu em bom número e teve oportunidade de assistir a um programa em directo, o que tem sempre o seu “quê” de aliciante. As crianças das nossas ludotecas participaram em animadas coreografias, o pessoal da CERCI não falhou uma pezinho de dança na Kizomba e a assistência desmultiplicou-se em beijinhos para a família.

O pessoal técnico e da produção não podiam ser mais simpáticos e afáveis. A Tânia (que já tinha estado connosco em Novembro e que tinha sido nomeada madrinha dos “castanhitos”) e o Francisco, desses então, nem se fala: muito humildes, simples e disponíveis, cativaram todos os presentes e certamente os espectadores, fazendo mesmo esquecer as muitas fãs que estranharam a falta do ídolo Baião. São queridos, não são? E fazem um belo parzinho ao estilo de “namoradinhos de Portugal”.

Os artistas convidados pela produção animaram, e só faltou mesmo um nome assim sonante, ao estilo do filho do Tony Carreira, para gáudio das fãs. Se me permitem, eu preferi os UHF e as dançarinas do Rui Bandeira que pareciam saídas da capa de uma FHM ou de uma Maxmen. Beleza!

Quanto aos nossos representantes mediáticos, penso que estiveram todos bem, uns mais desenvoltos que outros, mas com um nível muito bom, deixando uma imagem mais do que positiva.

Na minha curta intervenção, não pude evitar espetar uma alfinetada no poder central e nessa autêntica vergonha que têm sido as apostas do Turismo de Portugal, que se esquece por exemplo que há mais locais de destaque no Alentejo para além da Costa Vicentina e do Alqueva; ou investindo milhões numa programação acima das nossas capacidades para um ALLgarve que vale por si próprio e não precisa de mais engodo para rebentar pelas costuras nos meses de Maio a Setembro. Estes meninos devem pensar que por aqui a malta não lê jornais e não pensa pela sua cabeça!

E assim voltámos às bocas do mundo, dando mais uma pedrada no charco da indiferença e semeando algo cujo retorno dificilmente seremos capazes de quantificar mas cujo efeito só pode ser mais do que benéfico.

Meus amigos, podemos não ter tanto emprego quanto gostaríamos, tantas habitações quanto poderíamos, tantos jovens e crianças quanto sonhamos… mas temos esta beleza que faz de nós um dos ex-libris de Portugal e isso, ninguém nos há-de tirar.

No final, toda a equipa agradeceu o beberete informal que preparámos com algumas iguarias locais para retemperar forças antes de se fazerem de novo à estrada e pudemos ver gratidão nos seus olhares e nos sorrisos de despedida.

Muitos deles asseguraram-me que ficaram fãs de Marvão e que vão regressar com a família.

Será que se pode pedir mais?

(Cortesia de um amigo via sms. Para o álbum. Merci!)

7 comentários:

M. disse...

Eu fui vendo aos poucos e apanhei mesmo no momento em que o sr. Vereador começou a falar! Sim senhor, que desenvoltura na sua intervenção!

Grande dia para Marvão, não haja dúvida :)

Jaime Miranda disse...

Quis o destino, ou o servidor de internet, que eu não visse mais o programa depois da intervenção do Senhor Carlos Melancia. De resto, consegui assistir a tudo, em horário laboral e claro,com prejuízo do serviço. O que importa é que consolei um pouco a saudade e enchi-me de orgulho, anunciando e mostrando a todos os colegas, e mesmos aos patrões ,que a minha rica terra estava na televisão. Destaco as actuações da Escola de Música, a conversa com a Emília Mena, a reportagem na Mercearia Sobreiro, as quadras do Cabo Máximo, a conversa com a dona da Quinta do Barrieiro e as actuações do fadista José Perdigão. Fiquei com muita pena de não poder assistir à conversa com o Senhor Vereador, mas tenho esperança de poder encontrar alguma gravação, na Internet. Concordo plenamente que o programa foi muito bom para os marvanenses,que viram a sua terra com o destaque merecido na sua plenitude humana e natural. Emocionei-me, ao ver muitas caras familiares e lugares de que tenho saudades mas, sobretudo, com a satisfação dos apresentadores, que não se cansaram de afirmar a grande simpatia com que estavam a ser recebidos.
Um abraço do Jaime Miranda

Goyi disse...

Siempre que hago zaping paso y doy una vueltita por todas las cadenas portuguesas y ayer cuando me desperté de mi siesta obligada, veo en la tele una niña que me recuerda mucho a Irene, la pequeña de Garraio, .... anda , pero si es Marvao!!!!..... me quedé toda la tarde y me sentí tan contenta de veros allí dando a conocer lo mejor de vosotros!!!... también llamé a mi hijo y a mis amigas para que os vieran y luego en el paseo la gente lo comentó.... Que bonito se veía todo y que gente más auténtica en vuestra tierra!... Merece la pena luchar y sufrir por eso.

Tu, Pedro, como siempre, en tu linea: el mejor y barriendo siempre para casa( así me gusta).... y muy guapo, si señor!

Solo un tirón de orejas: deberíais habernos avisado para que fueramos unos cuantos españolitos a dar un poquito más de ambiente , se veía muy poquita gente..... Ahora Irene, como buena española chupando cámara , siempre en primera fila... Así me gusta, si señor, por mucho que te guste Portugal la sangre de las venas no se puede raspar.... Un beso con mucha envidia, de la sana, para todos.

Vitor disse...

Só uma nota muito breve : Um publicidade destas a Marvão e tão pouca gente a assistir pareceu-me lamentável. Quem tem assistido como eu a este programa nos locais por onde tem passado só pode achar no mímimo estranho ter visto 15 ou 20 gatos pingados a assistir em directo ao programa.

Onde estão as gentes de Marvão? Foram informados? Foram buscá-los?

> Irene . disse...

Como uma boa participante em iniciativas (e logo televisivas, eu que adorava ser apresentadora de TV...) levantei-me cedinho para apanhar o local ideal neste dia em que o Verão foi mesmo total!
Passei para informar que todos os (poucos) jovens que assistimos em primeira fila ao programa, delirámos com todo este Mundo dos ídolos da televisão, ficámos muito agradecidos da alegria da Tânia e do carinho do Francisco, e então quando nos perguntavam uma ou outra coisita ou nos convidavam a dar um pezinho de dança o coração acelerava como quem diz “A Tânia Ribas da Herança de Verão e o Francisco Mendes do Top + estão mesmo aqui pertinho a falar connosco”

Bueno Goyi, la verdad es que no me sorprende que nada más cambiar el canal, vieras mi cara en la pantalla, porque como dices y muy bien, tengo esta sangre española, que aunque muchos no lo entiendan son más echaos pa adelante y nada de vergüenza. Así toda la semana me vienen compañeros del cole, amigos, profesores, y todos los que me hayan visto (incluso gente de Valencia me han echado un vistazo, lo que es normal, porque como no me despistaba ni un minuto la camara...!) diciendo “anda Irene, que te vi en la tele, que bien! Allí con los famosos...” Ai que alegria me dá, esto es lo mio, macho!

Pedro, muitos parabéns pela intervenção, além da promoção de Marvão eu também tive uma pequena parte!
Espero que continue neste Mundo da política, para mim, e maioria dos jovens, é o melhor!

Irene Garraio

Goyi disse...

Muy bien Irene, así me gusta la gente joven, como tu. Tienes a quien salir!!!!. Si lo que tu quieres en la vida es ser locutora o presentadora, o actriz..... o cualquier cosa, tu lo conseguirás, eres de ese tipo de jóvenes que sabe muy bien lo que quiere, desde pequeña, encima tienes personas a tu lado que te ayudarán y te apoyaran, por eso tu lucharás y no pararás hasta conseguir lo que te propongas...... mira Soraya!!!!.... Hay que querer las cosas con mucha fuerza y luchar por ellas.

Me gusta mucho también ver que los jóvencitos, como tu, apoyáis y queréis a Pedro Sobreiro, se lo merece, me encanta porque sé que eso lo hará muy feliz y le dará una motivación enorme para seguir adelante.

Besitos a papá y dile que lo echamos de menos, que ya habrá visto sus flores del Anchao están protegidas por una varandilla y que cuando ya no estén las chicas de la Escuela Taller para cuidarlas, lo haremos nosotros, si es preciso.....

También a mamá besitos.

Garraio disse...

Gracias, Goyi.

La plazuela esta preciosa. No tiene nada que ver con el aspecto triste y abandonado que tenia hace un año atrás.

Gracias a Julio (de la Peña) por regar las flores.

Todo el sitio donde hay flores es un sitio más ameno y mas bonito.

Es la una de la mañana y acabo de dar la vuelta completa a la muralla de Marvao. Nos hemos parado en una torre mirando el mundo a nuestro alrededor... No hay palabras para describir el silencio y la paz que aqui se vive.

Una brisa suave y una luna algo avergonzada dió la vuelta con nosotros...
Aqui tambien hay docenas de pequeños jardines que mi colega Dionisio cuida como se fuesen sus hijos.

El día que dejemos de tener jardines y flores, brisas y lunas que nos relajen la vida será bastante más dura.

Y ahi abajo Valencia, nuestra Valencia, tan cerca y tan lejos. Bastante más lejos desde que te has ido, la verdad.