quarta-feira, 26 de março de 2008

2º Grandioso Passeio Pedestre do Blogue - Livro de Memórias

1. Line up inicial: Bonacho, Mário, Luís Bugalhão, Clarimundo (só prá foto), moi même, Buga, Jorge, Paula, Bonito, Conceição, Garraio, Nuno Pires

2. Velocidade cruzeiro em direcção à Relva da Asseiceira

3. O "nosso" Alentejo


4. O Mário conta mais uma das suas... Grande contratação!

5. Uma platéia... estilosa.


6. Vidas boas...

7. Garraio... o nosso Indiana Jorge!

8. Serpenteando por entre as rochas e a vegetação

9. Esta é para meter em cima da televisão. A moldura tem de ser uma daquelas da Loja do Chinês que diz "Amo-te", a euro e meio.

10. Fim de semana alucinante...

11. O Bonachinho pensava para consigo mesmo: "isto está bom para a boga..."

12. No alto... ao cimo de tudo.

13. A caminho da Fontanheira

14. Matando a sede...

15. Numa fonte com um santo muito especial...


16. O nosso amigo Pires deu cartas, com bolinhos e moscatel...

17. Abismados com a solenidade dos caminhantes, os nativos mudaram o nome de uma avenida para comemorar a efeméride...

18. O antigo salão de baile e as janelas por onde saltavam os mancebos em noite de porrada.

19. Custou... mas foi! Eu não disse que o auto-temporizador funcionava?

20. No dia em que começava a Primavera e a minha querida Cali celebrava mais um aniversário

21. As filhas do Luís, não desistiam de procurar o pai por entre as giestas floridas

22. Tás lindo, estás! Estás mesmo bom para ir à faca!
Esta foto sai em poster na Mulher Moderna da semana que vem

23. Eu e as minhas amigas da Pitaranha. Junto a mim, a contrabandista que levei ao Goucha. Uma jóia!

24. As placas bem avisavam... Cuidado com as picadas mais à frente...

25. "É além", diz o Buga, "já lá estive antes..."

26. Em San Pedro, uma "finca" de encantar...

27. A comitiva junto ao Gabinete de Relações Transfronteiriças.
Uma casa de culto...

28. Finalmente, o Pino!

29. A cerveza pré-jantar

30. Dona Estrella: "usted no puede existir! Que rico!"

31. Com o nosso anfitrião e as últimas incorporações
.
.
.
.
.
“Até qu’enfim!” dirão muitos e eu também, mas sabem como é…

Meteu-se a Páscoa, o Torneio de Futebol Infantil, a família, algum descanso, jornais e leituras em atraso, música por ouvir, uma ou outra reunião de trabalho, alguma papelada e… só agora.

Só hoje, mas mais vale tarde do que nunca.

Primeiro seleccionei e trabalhei as fotos. Depois, era para escrever tanta coisa que eu queria mas sinceramente, acho que não é preciso. Não é mesmo porque está tudo aqui, nas imagens. Acho que está um roadbook bem à maneira e dá para os que foram poderem recordar e para os que não foram, poderem ter uma ideia do quanto desfrutámos todos.

Foi um dia glorioso… uma temperatura e um sol maravilhosos, uma companhia muito bem disposta, uma grande jornada de camaradagem e de amizade também.

Esta é a face visível da família cibernética que se formou nesta taberna virtual.

Saúdo as novas aquisições, todas elas de luxo e oxalá para a próxima, haja ainda mais. Quando formos mais de 100, espero fundar uma nova religião.

Ainda foram 4 horas a dar ao pé, partindo de tarde e chegando bem de noitinha.

Digo-vos com sinceridade: passei um pedaço 5 estrelas e no fim… não me cabia um feijãozinho no tal orifício.

Uma maravilha!

A todos, mesmo todos, incluindo os que não quiseram deixar de estar no jantar, o meu muito e muito e muito obrigado.

São vocês também, que fazem tudo ser assim e valer a pena. Um estabelecimento sem clientes, só tem uma alternativa.

Grande abraço…

6 comentários:

elisa disse...

Olá, adorei ver-vos a todos nas fotos, estão todos muito bem e o caminho que foi percorrido por vocês é lindíssimo. E vejo que foi bem gratificante para todos quanto participaram e pelas fotos parece que toda a gente aguentava mais outro tanto.
Quanto ao jantar nem vos digo nada... que aspecto.
Mais uma boa recordação para o vosso grande livro das memórias, que já está bem recheado.
Lembrei-me de vocês, mas agradeço o palpite que tive em não ir embora as minhas filhas, minhas melhores amigas de e para toda a vida, me motivassem a ir. Fiz falta por aqui. Tive que reparar desilusões.

Tudo de bom

Luísa Garraio disse...

A selecção fotográfica transmite bem o quão interessante foi o percurso…
Apeteceu-me fazer um comentário à forma como chegou até mim o blogue…
Quando fui levar o meu irmão a Santo António para o dito “passeio” ele fez-me o convite: “Vem com a Fefi ter connosco ao Pino, estarão também as mulheres dos outros tasqueiros”.
Confesso que senti, na altura, se não seria uma “E.T.” entre pessoas que partilham um espaço que eu desconhecia… e lá segui até ao estabelecimento “ Cá de Marvão”, passo a publicidade, ajudar no que fosse preciso, pensando no tal convite.
Chegou a hora combinada e lá fomos juntar-nos aos “grandes caminheiros”. Reencontrei pessoas conhecidas, que em tempos já se cruzaram/ajudaram/ colaboraram em vários momentos da minha vida e também tive oportunidade de conhecer novos tasqueiros…A comida estava óptima, como seria de esperar pela qualidade há muito saboreada, então no nosso concelho, e o convívio foi mesmo muito agradável.
Todos partilhamos a mesma “paixão” o nosso Marvão (concelho!) e as palavras foram surgindo, daqui e dali, as preocupações, as reflexões do passado e as perspectivas do futuro, tudo sentido por quem vive cá e por todos os que gostariam mas não podem, e regressam sempre com o estado de alma que se “enche” quando se avista, e se pisa a “nossa” terra, que afinal é uma terra do mundo inteiro.
Antes de sair, pedi o nome do blogue e prometi a mim mesma que ainda nessa noite viria, pela primeira vez “espreitar”… e a promessa cumpriu-se.
Daquilo que li, e foi pouco, fiquei convencida que terei de “arranjar” tempo para de vez em quando, frequentar a tasca…
E recordei, ao ler um “texto” do Tio Sabi, um programa que ouvi, numa das viagens diárias, na Rádio Portalegre, sobre um encontro no rossio com um “sem abrigo”…e ficou-me gravada na memória aquele desabafo, por que se há “coisa” que mais me impressiona numa grande cidade, cheia de monumentos, centros comerciais e coisas interessantíssimas, são na verdade os “sem-abrigo”…. E sentir que afinal começam a chegar também às pequenas cidades… Temos de pensar…e acima de tudo agir.
Desse pensamento à ideia do dito “Fórum virtual “e quiçá alguma vez “presencial” que foi lançada, naquela noite animada, surgiu esse acreditar que o debate de ideias é fonte de diversidade mas acima de tudo de enriquecimento, utópico para uns, menos para outros, o desafio permanece em mim…e penso que não estou sozinha! Mas a realidade da falta de tempo com que me defronto para gerir a minha “vidinha” quotidiana também é motivo de ponderação…mesmo assim vamos desafiar os tasqueiros e acreditar que é possível realizar o dito…
Peço desculpa, se o Português não é o melhor…estou ansiosa com a chegada da minha querida sobrinha, que vem de Londres, da sua primeira viagem de finalistas!!!

Luís Bugalhão disse...

oi ti sabi!

belas fotos, melhores comentários (embora aquela da platéia com acento... ai não se pode, sorry)!

como dizes, pouco há a dizer (q mal q'isto me soa). serve apenas para os ausentes (olá elisa) ficarem com inveja e para os presentes (boas luísa garraio) ficarem ainda mais viciados nesta tertúlia marvanense.

às tantas temos mm que fazer o tal fórum que o bonito e o jbuga inventaram ali, no calor da da festa. mm que ele só sirva para c'mer e buber como, conhecedor dos homens e mulheres que é, disse o mário (abraço para ele tb. dá-lho que ele tem a mania que não gosta de comunidades virtuais).

quanto ao resto, mando só as quadras alentejanas que fiz na ocasião (e para a ocasião), que tanto sucesso fizeram (ou não?), e que a minha matilde teve a sageza de rasgar do toalhete em que as escrevi, para que ficassem para a posteridade (apesar de nascida nos açores, acho que está ali germinando uma grande marvanense):

eu bebo este copo de vinho
à saúde dos qu'aqui estão,
depois dum grande jantar
à conta dum blog de Marvão.

blog do pedro sobreiro,
com o garraio cheio de manha:
em vez dum copo na terra,
trouxeram-nos a comer p'ra espanha.

trouxeram-nos a comer p'ra espanha,
numa grande reinação.
andámos 15 quilómetros
e eu fiquei todo contente... e feliz!

inté

elisa disse...

Realmente, já nem inveja se pode ter em paz...
É pena as fotos serem sempre um pouco traiçoeiras, porque senão ia mesmo agora descobrir-te nelas. Pode ser que um dia destes me cruze contigo pessoalmente nalguma rua de Portalegre... Não te escapas a uma canelada.

João Bugalhão disse...

Ora vivam, caros confrades (as) …

Cheguei a pensar que alguns e algumas tivessem sido hospitalizados, pois só por aqui passavam as senhoras que tiveram temor de se meter à “rebêra”, mas eis que aos poucos, e certamente, depois de refeitos da canseira, lá começam a revir (excepto o Jorge, que ainda está de tarimba…).

Em primeiro lugar, quero aqui partilhar convosco o meu sentimento de satisfação por aquela bela expedição. São dias como aquele, que tornam a nossa vida diferente do seu quotidiano e que agora, ao olharmos estes retratos, nos deixam uma vontade colossal de voltarmos a repetir.

Em segundo, deixo aqui as boas vindas à nova “bloguista” Luísa, que parece que vem com vontade, se sai ao mano…que grande aquisição! E já agora, obrigado pela força que transmitiu ao apoiar entusiasticamente a fantasia do “fórum”, seja ele virtual ou presencial.

Gostaria a esse respeito, de voltar à fantasia (não sei se o nome é o melhor, talvez devêssemos denominá-lo de “Encontro”). Mas penso que a ideia está lançada, agora deixá-la amadurar…

Agora que a nossa terra precisa de debate e de massa crítica…precisa. E não é de gente iluminada, é de pessoas vulgares, que pensem, que riem, que chorem, que tenham ideias (sem ser em eruditas “agendas da treta”), ter opiniões, que coajam os mandos instalados, sem ser para apanharem um qualquer “tacho”, que abranja todos os quadrantes políticos e geográficos (sem que uns sejam a norte do morro e outros a sul), que defenda as nossas coisas, os nossos valores, esta maneira de ser marvanense de sentir Marvão e defender a sua integridade enquanto comunidade (que um dia destes estará seriamente ameaçada), que chame aqui a grande diáspora marvanense espalhada por todo o país, para além dos interesses pessoais, etc., etc.

Para isso, amigo “dono da tasca”, não fujo ao meu contributo e estou disposto a entrar nela, agora preciso da vossa imprescindível colaboração, e que esta ideia tenha eco…

Aguardemos!

Um abraço

jbuga

Jorge Miranda disse...

Caros colegas de expedição, e não só:
A expedição, só tem este nome, porque hoje de manhã fui contactado pela Sociedade National Geographic, a informar da atribuição de um fundo de € 3000000, para podermos estudar a problemática das Abelhas Perigosas Brasileiras e sua influência no desenvolvimento comercial transfronteiriço, penso que esta noticia será recebida com agrado pelo lobby masculino do blog…ai as Marias.
Em relação à caminhada, por terra de contrabandistas, foi um passeio fabuloso… a minha mágoa foi o jantar…Paciência, não podemos ter tudo.
Não queria responder, mas como a minha honra tem sido constantemente atacada, por um massagista Tailandês e um editor de revistas femininas…, e obedecendo a todas as leis em vigor neste blog, vou ripostar:
Portei-me que nem um leão, cheguei no pelotão da frente (sabe Deus como…), só ando há 8 dias com dores, mas isto passa, e depois sou difamado em blog público, por profissionais da massagem…deixo este aspecto ao vosso critério.
No que respeita ao editor da Mulher Moderna, só posso dizer que fui convidado para fazer o novo OBÉLIX, e sou capa de revista da PLAYGIRL de Abril, onde poderei ser apreciado por todas as FALBELLAS que asssim o desejarem.
Um beijinho à Luísa.
Sempre vosso OBÉLIX