segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Maré vermelha


"Ó Machado, anda lá que eu ensino-te a matemática. Já mamaste 2. Para os 6 que hás-de levar daqui na pá, quantos te faltam?".
-
-
Ao contrário de muitos, eu não sei se o Benfica vai ser campeão neste ano. Gostava que fosse. Gostava de saber, mas não sei.

O que eu sei é que há muito tempo não tínhamos uma equipa assim poderosa, determinada, de altíssima qualidade em todas as posições, com alternativas credíveis e com esta fome de golos. A velocidade é sempre só uma: cruzeiro!

O que eu sei é que o Meu Benfica é de longe, mas por muita lonjura mesmo, a equipa portuguesa que melhor futebol pratica actualmente.

Ver este Benfica jogar é assistir a um bailado protagonizado por artistas que se divertem, que se recriam, que sorriem mesmo quando falham ou são escandalosamente roubados (dois golos limpos injustamente invalidados por fora-de-jogo, um golo sofrido em posição irregular).

Este Benfica, com um muro de betão brasileiro na defesa, um coração espanhol no meio campo e o mais letal dos ataques sul-americano, faz-me delirar. Aos 70 minutos, dei por mim cansado de ver tão bom futebol e desejar que a agonia insular terminasse de vez. Os “Olés” eram tantos que ainda pensei que me tivesse enganado e estivesse a ver uma tourada no Campo Pequeno daquelas que dão na RTP memória.

Dantes, aos 70 minutos era quando eu achava que nunca tinha estado tão próximo de um AVC. As voltas que a vida dá…

Os 47 mil que encheram o estádio de alegria e cor não podem estar enganados. Há o Benfica e depois… os outros todos.

Ai eu… gosto tanto disto! Fico tão feliz assim… Quando é que lá vamos outra vez?
-
-
-
PS: Dedico este post ao lagarto do meu irmão que continua fiel indefectível do Paulo Bento. Saiu masoquista, o rapaz… Não tens pena de ter sido torto? Se me tivesses ouvido, hoje podias ser um homem muito mais bem disposto. Beijinhos.

Se puder ser, dedico ainda este post ao Jorge Jesus Meu Deus. O homem é o máximo. Seja a dizer adeus ao treinador do lado fazendo sinal com os dedos dos golos que já mamou, ou a mandar sarabandas aos jornalistas, não há pai para o Jorge. Aquele ar de enjoado de quem acordou à meia hora, o cabelo platinado, a pastilha elástica à rufia, a voz à Rod Stewart dos 300, a língua afiada… bem… um mimo. Eu quero! Um curso de Jorge Jesus já! Primeiros a inscrever! Se o apanho, dou-lhe um beijo naquela testa! Tenho que o convencer a ser o meu encarregado de educação!

6 comentários:

Pedro disse...

Eu estive lá vizinhança!!!!
Este nosso Benfica está muito forte mesmo, as jogadas entre o Aimar e o Saviola..... Só visto, são obras de arte fora de série.
Saudações Benfiquistas

John The Revelator disse...

Obrigado mano. Fico muito agradecido pela dedicatória e por saber que foi a imagem do teu irmão lagarto a animar os teus pensamentos no final do jogo em que o teu Benfica dá 6 e conquista a liderança do campeonato.

(Nessa imagem eu por acaso não estava a usar o meu cachecol que diz “Benfica Merda”?)

O Benfica está a jogar muito. E ninguém me tira da cabeça que quem está a financiar as contratações é o Estado Português. Basta ver os índices de criminalidade que são praticamente nulos quando o glorioso joga. A mim também me dá bastante jeito que o teu clube jogue bem, é que posso estacionar à vontade em Portimão porque arrumadores de carros desaparecem milagrosamente.

Continuo a defender o Paulo Bento e a equipa. E continuo a acreditar em todos eles. Sabes, é que eu já não sou do Sporting. Eu sou Sportinguista! O que é muito diferente. Ser Sportinguista é ter alma leonina, é apoiar a equipa nas vitórias mas principalmente nas derrotas e nos maus momentos. É muito mais do que sentir amor pelo clube. Já alguém explicou isto muito melhor do que eu alguma vez teria conseguido, por isso com os devidos pedidos de licença aqui vai:

“O Sporting é mais do que um simples clube. É um projecto que se transformou em filosofia desportiva e num modo de estar no desporto e na vida: o ideal sportinguista onde reside a grandeza que vai ainda para além dos feitos desportivos. Sobre os que construíram e hão-de continuar o Sporting e o ideal sportinguista, Eduardo de Azevedo escreveu:

“A alma leonina como unidade absoluta do mundo Sportinguista não pode decompor-se, dissolver-se, desaparecer. Que a alma leonina é unidade absoluta, incorpórea, deduz-se do suposto de que o que conhece o Sporting e o objecto de conhecimento do seu mundo têm de ter a mesma essência; se as ideias Sportinguistas são imateriais e eternas, tem de sê-lo também a alma leonina.
……
A virtude da parte racional que é sabedoria; a dos afectos nobres da vontade, que é fortaleza; a da parte sensorial, a temperança ou domínio moderado de si mesmo; finalmente, a justa relação das três partes entre si que é a justiça da alma leonina.”

Em conclusão: Ser sportinguista é mais do que sentir paixão pelo Sporting! É pertencer de alma e coração à família sportinguista que acolhe os ideais que o fazem um clube diferente: O Sporting!”


Do mano - Sócio nº89423

Beijinhos

Luís disse...

Oh John The Revelator, o Sporting é diferente porque? Porque foi durante anos o clube do regime e quando chegou o 25 de Abril deixou de ser um grande e de ganhar títulos? Apenas vai ganhando um aqui e ali? Estiveram 19 anos de jejum e agora vão estar muitos mais.

Clarimundo Lança disse...

Isso do clube do Regime, tem que se lhe diga, não eram esses os jogos que davam na TV, nem foram eles que esconderam o EUSEBIO.
SLB

Clarimundo Lança disse...

Saramago tem razão!
Saramago tem razão quando afirma que a Bíblia é um catálogo de crueldade.
Desde que Jesus chegou ao Benfica tem sido massacre atrás de massacre...

Garraio disse...

Só que aos domingos... paciência!