sexta-feira, 16 de novembro de 2007

O catorze................................ e meio!

Eu, a cavalo do catorze...e meio!
Bem apropriada, a foto. O meu agradecimento à vizinha Henriqueta Bonacho, por ter guardado esta inédita durante mais de 30 anos e pela gentil oferta de ontem.


Há dias, em conversa cá de casa, a Cris disse-me: “tens de escrever lá no blogue se a prova te correu bem ou não. Fui a Castelo de Vide e a Filipa, a filha do Manel Maresia que trabalha no Pingo Doce perguntou-me por ti e como é que tinha sido o exame. Disse-me, “o Pedro nunca mais disse nada sobre a prova, a gente também gosta de saber, não é?”.

Quem me conhece de verdade, verdadinha, sabe que vou fazer isto sem qualquer tipo de segundas intenções, mas vou mesmo falar sobre o assunto. Vou fazê-lo por todos aqueles que, como a Filipa, se preocuparam comigo. Vou fazê-lo por aqueles que me incentivaram, que me apoiaram no messenger, que me enviaram um e-mail ou um sms, que me fizeram um telefonema, que me deixaram um comentário no blogue ou apenas torceram por mim em pensamento.

As notas saíram hoje. Passei com 14,5. Um 14,5 com sabor a 20.

Pago uma cerveja para comemorarmos. Quem estiver interessado, basta chegar ao pé de mim e dizer-me, “eu quero beber uma à pala do 14,5”, seguido da expressão-chave, “granda fezada!” e já está!

O motivo merece.
Um abraço a todos.

6 comentários:

Bugalhão disse...

I ENCONTRO DE BLOGUISTAS DA TASCA DO TI SABI

3º E ÚLTIMO AVISO

De acordo com o informado anteriormente, venhoconfirmar, que o dito, sempre se realizará no dia 24 de Novembro, Sábado.

PROGRAMA DEFINITIVO

- 10 Horas: Concentração no Largo de S. Marcos em Santo António das Areias e inicio da Passeata até ao local da Ponte Virtual das Castelhanas. Após visita ao local, regresso pelo Pego Ferreiro até ao local da partida. Após banho retemperador (a responsabilidade é do dono da Tasca) partida para o local da “almoçarada”.
(Se estiver a chover, esta actividade será substituída por um “sarau de anedotas” em local a designar e em cada um dos participantes, terá de contar no mínimo 2 anedotas 2).

- 13 Horas: Inicio da “função alimentícia” no Restaurante o “Poejo” em Santo António das Areias.

Nota: A organização não se responsabiliza por qualquer incidente durante as actividades.

Lembro que até ao momento estou a contar com os seguintes “bloguistas”:
- Pedro Sobreiro
- Fernando Bonito
- João Bugalhão
- Luís Bugalhão
- Govy
- Clarimundo Lança
- Garraio

PS – Peço a todos os interessados que ainda queiram participar, o favor de me contactarem e aos já inscritos se houver alguma alteração, o mesmo…

João Bugalhão

Clarimundo Lança disse...

Vejam a evolução dos burros de 4 rodas, enquanto os de quatro patas continuam imutáveis na sua pose inigualável, como só um burro sabe se apresentar.
Trinta anos de distância e o estilo em nada diverge.
Tou a falar do burro, claro, porque tu estás com mais pinta, óculos e relógio ultimo grito e fato saia e casaco a condizer, já para não falar dos xanatos, e com o guiador nas mãos bem controlado a conduzir este MARVÃO que bem precisa de homens com ferramenta igual ao do conduzido.
Mas reparemos na rábula ou será que é fábula.
Não mudo o género nem o número para não ferir susceptibilidades.
O velho, o rapaz e o burro
Um homem ia com o filho levar um burro para vender no mercado.
– Ó homem, o que você tem na cabeça para levar um burro estrada fora sem nada no lombo enquanto você se cansa? – Disse um homem que passou por eles.
Ouvindo aquilo, o homem montou o filho no burro, e os três continuaram seu caminho •
– Ó rapazinho preguiçoso, que vergonha deixar o seu pai, um velho, andar a pé enquanto vai montado! – Disse outro homem com quem cruzaram.
O homem tirou o filho de cima do burro e montou ele mesmo. Passaram duas mulheres e uma disse para a outra:
– Olhem só que egoísta! Vai o homem no burro e o filhinho a pé, coitado...
Ouvindo aquilo, o homem fez o menino montar no burro na frente dele. O primeiro viajante que apareceu na estrada perguntou ao homem:
– Esse burro é seu?
O homem disse que sim. O outro continuou:
– Pois não parece, pela maneira como o senhor trata o bicho. Ora, o senhor é que devia carregar o burro em vez de obrigar a carregar com duas pessoas.
No mesmo momento, o homem amarrou as pernas do burro num pau e lá foram pai e filho, aos tropeções, carregando o animal para o mercado. Quando chegaram, toda a gente desatou a rir, a rir tanto que o homem, enfurecido largou o burro, pegou no filho pela mão e voltou para casa. [Fábula de Esopo]

Moral da história:
Quem quer agradar a todos não agrada a ninguém, mas tu, trilhando o caminho duro da vida, tens guindado os teus princípios, pela maneira cordial e afável como tentas agradar a toda a gente, mas como sabes até JESUS CRISTO acabou crucificado na cruz.
Já agora, o catorze não era da família?
Clarimundo Lança

Clarimundo Lança disse...

Peço desculpa mas faltam ai as imagens, não sei como as puclicar.
Clarimundo Lança

Clarimundo Lança disse...

publicar, claro

Pedro disse...

Vizinhança, muitos parabéns pela bela nota no teste!! Fernando Namora's Rules, eheheheh.
Grande Abraço, Pedro Coelho (indioJoe)

Luís Bugalhão disse...

parabéns Pedro! antes um burro que uma raposa, se é que ainda para aí anda alguma em Marvão. e burros também não deve haver como se desejaria... agora há os subsidiados...

sem trocadilhos agora, até sábado, quando te felicitarei pessoalmente. e tb quero a jola e a branquinha que prometeste aqui há tempos!

abraço