domingo, 6 de dezembro de 2009

Coisas que me deixam mesmo, mesmo, mesmo feliz…

Por falar em coisas que me deixam feliz, mesmo muito feliz, quase mesmo a rebentar...

Uma delas é ir às compras de Natal para os hipers da cidade mais próxima da minha casa (Castelo Branco. Portalegre não é vila?) e encontrar pérolas preciosas, algumas das quais tentava pescar há anos, a preços ridículos… como:
-
-
-
A edição especial (2 discos) em dvd do “Lost Boys”, a obra perdida da minha colecção de filmes de vampiros, por 6 euros e 70. Aahhh… muito bom! Um Kiefer Sutherland novíssimo… banda sonora com os Echo and the Bunnyman a tocarem versões dos Doors… um derradeiro e transgressor filme teenager. Deixa cá ver onde é que vais ficar… sim. Aqui! Ao lado do “Drácula” original com Bela Lugosi, “Drácula” de Coppola, “Entrevista com o Vampiro” do Neil Jordan, “A sombra do Vampiro”…
-
-
-
-
E...
-
-
A edição especial “Backbeat” por 3 euros e 90 cêntimos. 3 euros e 90 cêntimos?!?!!?!? 3 euros e 90 cêntimos, meus amigos, apenas. Uma verdadeira pechincha pela obra que nos revela em definitivo tudo o que há para saber sobre os anos loucos dos Beatles em Hamburgo, quando Stuart Sutcliffe, o guitarrista prematuramente desaparecido, ainda fazia parte do line up, e as drogas e o álcool eram os prato do dia da vida destes jovens rockers que haviam de mudar o mundo. A banda sonora, gravada por uma super banda criada para o efeito que contava com Dave Grohl (Nirvana, Foo Fighters), Dave Pirner (Sou Asylum), Mike Mills (R.E.M), Greg Dully (Afghan Whigs) e Thurston Moore (Sonic Youth), já cá canta desde 94 e é uma das minhas favoritas de sempre. Agora… o ramalhete está composto!
-
-
-
-
E ainda… por 7 euros e 90… “The Sun Records Anthology”, uma edição em 3 discos (belíssimos graficamente, a recordar os velhinhos vinis…) que reúne os grandes êxitos desta emblemática editora que foi a verdadeira maternidade do Rock’n’Roll. São muitas dezenas de êxitos pela voz dos maiores de sempre… Elvis Presley, Jerry Lee Lewis, Carl Perkins e Johnny Cash que surgem muito jovens na capa, a afinarem as vozes num coro ao piano. É caso para dizer que só a fotografia vale o dinheiro.
-
-

Por ser o menos conhecido, sai um videozinho do grande Carl Perkins, que criou inúmeros hits celebrizados por outras estrelas e por essa mesma razão nunca atingiu o topo do estrelato, mas que era tão gigante quanto os maiores. Malha! (Reparem no jogo de pés...)
-
-
-
-
Para finalizar… na Brinka, enquanto a minha filha pagava a boneca, ainda tive tempo de comprar às escondidas um Playmobil da novíssima colecção do Egipto, por ser a verdadeira recriação do nosso Ibn-Marúan. E que bem que fica, altaneiro e insolente, no cimo da estante da minha sala…
-
-
-
PS: No que diz respeito a dvds que nunca deixarei de procurar… ainda não desisti de deitar a mão aos brilhantes “Rumble Fish”(Juventude Inquieta) e “The Outlaws” (Os Marginais), ambos do mestre Coppola. O primeiro, um grito de revolta a preto e branco, a película que cristaliza como nenhuma outra toda a revolta de ser jovem e a segunda… uma ode à rebelião, uma passadeira dourada onde desfila em grande estilo toda uma geração de jovens actores que hoje dominam a Meca do cinema. Um dia… um dia… sei que vão ser meus e baratos!

Chhhhhhhhhhhhh. Apaguem as luzes!

1 comentário:

PaulaMorgado disse...

Que coincidência!!! Comprei "The lost boys" em Badajoz, no sábado.