terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Jamais!


Isto só em Portugal!

Só em Portugal é que um Ministro das Obras Públicas tem o descaramento de vir à televisão, a um programa de grande audiência de uma televisão pública, defender uma posição com a qual não só não concordou, como chegou até a gozar e a achincalhar em língua bárbara: jamais!

Só em Portugal é que isto acontece e o homem fica incólume e a populaça permanece encarneirada.

Quando lhe falaram de Alcochete como sendo um dos locais prováveis para o novo aeroporto, chegou a defender que só por cima do seu cadáver se avançaria para um investimento desta importância num sítio, numa zona, onde “não há gente, não há escolas, não há hospitais, não há cidades…”.

Agora vai para a televisão defender os argumentos contra os quais vociferou.

Se eu mandasse isto era assim, o Sócrates, ao decidir em sentido inverso da Ota e estando na posse destes elementos, tinha de deixar cair o ministro. Se assim fosse, não lhe restaria outra solução que lançá-lo às feras e na minha opinião a coisa processar-se-ia da seguinte forma:

O ministro seria entregue no fim do tabuleiro central da ponte 25 de Abril, à meia-noite, completamente nú, onde seria esperado por uma comitiva composta por cidadãos e autarcas da margem sul que o correriam “à frutada”, com podres e vegetais, até Alcochete, onde seria embalsamado e estrategicamente colocado numa rotunda inaugurada para o efeito, denominada “Rotunda do Jumento”, onde ficaria exposto para memória futura.

Seria bem engraçado, uma espécie de versão actual do rito pelo qual passavam os batoteiros no Velho Oeste, quando os banhavam em petróleo, os cobriam de penas e os passeavam numa viga pelas ruas das cidades e quem leu o Lucky Luke sabe bem do que vos falo.

Ah! Belos tempos.

É que eu não posso com o homem! Já viram bem o ar daquilo? Eu sei que é feio julgar as pessoas pelo aspecto. Eu próprio, se mandasse, tinha pedido a Deus para nascer no corpo do George Clooney, ou pelo menos, com menos meio-metro de nariz. Mas o Mário Lino ganha porque é impossível acreditar naqueles olhos esbugalhados, naquele ar de quem acabou de mamar uma garrafa de uísque, na sua expressão aparvalhada…

Mas é o país que temos, meus amigos e não me venham com histórias porque eu sei que faz falta mais um aeroporto mas também sei que a solução Portela + 1 é de longe a mais simples, mais económica e mais facilmente exequível. Só que essa solução não dá resposta à alcateia de lobos famintos que controlam as grandes construtoras e os grandes interesses instalados. Essa solução não paga os favores e o clientelismo dos partidos em época de eleições. Essa opção não satisfaz os donos do dinheiro e do poder e cá o mangas mais a esposa, o Pedro Alexandre e a Fernanda Cristina, que não fogem nem podem desviar um cêntimo da tributação, lá vão ajudar a financiar a megalomania desta gente.

Há tempos fui a Beja para uma apresentação oficial do PIT (Plano de Investimento ao Turismo), numa viagem enguiçada em que me carimbaram por excesso de velocidade, e fiquei boquiaberto quando ouvi lá a senhora a dizer que o governo tinha definido que as áreas de interesse no Alentejo no que diz respeito ao Turismo, face à nova conjuntura comunitária, eram a zona litoral e a zona do Alqueva. Quis ela dizer com isto que o resto era paisagem, um pantanal, para esquecer.

Com esta gente não vale a pena argumentar. É como o velhote da SIC que fazia de magistrado na saudosa série “O Juiz decide”. Dizia então o homem: “o juiz decidiu, está decidido!”.

Aqui é igual. Comes e não levantas cabelo!

Agora, começo a perceber que as conversas batem certo e que a grande estratégia socialista está a começar a tomar forma com o aeroporto por ali, o TGV por onde nós sabemos, as plataformas logísticas onde já foram anunciadas e as zonas de excelência turística previamente definidas.

Diz o povo que “por um bocadinho é um homem corno”.

Desconfio que é esse bocadinho que nos vai faltar aqui em Marvão.

Vamos ficar a vê-los passar e não muito mais do que isso…

Ai a porra da minha vida, ãh!


PS: Ah! Já me esquecia! No meio de toda aquela embrulhada, há um momento de puro génio e de comédia à antiga portuguesa. O nosso Mário, numa das suas encaloradas investidas, espeta uma ferroada na Zita Seabra, ali na qualidade de defensora de si e contra-tudo, como é de resto habitual, e diz-lhe qualquer coisa como “a shôtora tem dificuldades de relacionamento com a história e com o passado”, referindo-se à sua polémica saída do Partido Comunista Português.

Assim que pôde, a nossa amiga não o fez esperar pela demora e esperta!, aponta-lhe em público que “ai o shôtor acha que eu tenho problemas com a história? E o senhor? É que se bem se lembra, quando eu saí do PCP, o senhor ainda lá ficou, sendo na altura RESPONSÁVEL PELO SECTOR DAS EMPRESAS E PELA GESTÃO DOS FUNDOS E ORIENTAÇÕES QUE CHEGAVAM DE LESTE PARA A ÁREA!?!?!?!?!?”.

F***-**! E o gajo ficou impávido e sereno, com um ar de “prontos, prontos, não te zangues”.

Neste país diz-se tudo.
Estes romanos estão loucos!

24 comentários:

Marilia Rosado Carrilho disse...

Concordo! E não consigo mesmo dizer muito mais... de pasmada que estou.

É que não sei como ainda tem cara para aparecer, quanto mais para permanecer como ministro (está mais que "queimado"), para falar ao país que ofendeu (não devia ser só a margem sul a sentir-se ofendida, mas o país inteiro - um ministro de um país deve ter em conta que É um PAÍS, não Lisboa, sempre e sempre, como se fosse divina, não existindo mais nada) e, sobretudo, para dizer o oposto do que disse: falácia melhor n
ao há!

Arrogância, prepotência e todos a levar com isto impávidos e serenos. Todos não, mas em número suficiente para se aceitar que ele e outros como ele permaneçam.

Quando vejo estas coisas, e manifestações sobre a Saúde, e a maior de manifestação de professores de há ano para cá neste governo... só exclamo: votem neles! Depois não se esqueçam de esquecer isto tudo e votem neles! Levantem bandeirinhas e gritem: "meu salvador". E vem o argumento de: "os outros são iguais", "não temos alternativas" - como se estivesemos num beco sem saída, o mau destino fosse inevitável e todos temos que "gramar e sorrir" aparvalhados e conformados com a "má sorte" de ser português. Ora poupem-me! Alternativa há sempre, decisão há sempre, vontade é que talvez não a suficiente.

Abraço.

M.

Marilia Rosado Carrilho disse...

Errata: onde se lê estivesemos deve ler-se estivessemos.

Luís Bugalhão disse...

mas não desesperem! ainda vamos a tempo de lá pôr outros. a ver se não pomos outros que sejam mais do mesmo, mas isso é outra conversa.

a única coisa que o pedro não falou, mas eu acrescentaria, é que, mt mal vai este país, para ter como contendores no prós e prós o mário lino e a zita seabra, dois ressabiados da política e dos amanhãs que ainda querem ver cantar, assim os padrinhos cheguem ao poder.

é que não sei qual deles fez pior figura...

palmas para o LNEC, apupos para a CIP.

de resto siga, qu'a malta cá vai, cantando e rindo, mas... não te esqueças que tb vemos, ouvimos e lemos.

abraço

Garraio disse...

Informo os estimados colegas de tascório que me retiro deste espaço comercial durante uma temporada, que não sei se vai ser grande, se vai ser pequena. Tudo depende do nosso tasqueiro de serviço dar mais ao dedo ou menos ao dedo.

Enquanto se entrar aqui e se der de caras c’o tonta do Lino, o f da mãe do Sócrates, e, no post seguinte a desgraça do Benfica, não volto a entrar.

Mando a minha Maria entrar cá a ver se já há conversa nova. Quando estes posts passarem às entradas antigas, então regressarei do meu “passeio” ao ar livre, que nestes momentos enceto.

É que já estou farto de sofrimentos e depressões… Viva o ar puro!!!!

Luís Bugalhão disse...

nã faças isso garraio. resiste compañero! fica cá a enfegar e a falar doutras coisas para desviar as atenções, que pode ser que aconteça... um milagre, e o socas cair duma cadeira... ah... dum arranha-céus de 50 andares, e o benfas comece a ganhar com fartura.

se te baldas, viras as costas à adversidade, deixas os pares sem apoio, e qd cá voltares é qu'isto já está feito um poggggrama de rádio, ou qq coisa parecida.

fica garraio, c'asenão o ti sabi nã ganha para comprar o purificador de ar, para se poder fumar dentro do estabelecimento.

abraço

Garraio disse...

Ok, Ok, atão a Maria entra directamente para os comentários da malta, e assim eu já posso cá vir, sem ter que ver a fúcia aquele bicho.

É como se entrasse c'os olhos fechados, até me sentar na mesa redonda, que tem aquele oleado do mapa de España y Portugal, com as províncias espanholas às cores e Portugal a cor de rosa.

F... -se!!! Cor de rosa!!!! Cor de rosa é socialista!!!! Socialista é o animal, o tal animal!!!!! Brrrrrrrrrrrrrrrr....

Bonito disse...

Sobre o ministro, concordo! Tudo dito. Ponto final.

Sobre o Sócrates, a coisa fia mais fino. É que o homem nunca se “atravessou” até decidir. E deu a imagem de um bom decisor! Ouviu, escutou, avaliou e…decidiu! E parece que decidiu bem!

A isto chama-se um bom decisor!

Porque será que, apesar de tão contestado, continua tão bem nas sondagens? Por uma questão de comparação. Digo eu!

Comparação com o folclore “in” do Santana; comparação com a tanga do Durão (que se pirou!); comparação com pântano do Guterres; comparação com o “pai do monstro”: o Cavaco que, usufruindo da melhor conjuntura, só soube engordar as despesas públicas (com aumento de funcionários públicos e das mordomias e ineficiências destes) e não soube criar condições para o melhor aproveitamento dos milhões de Bruxelas; comparação com o Soares que contribuiu para a democracia, deu a CEE mas deu, também, um país alicerçado em cunhas e corrupção; enfim, comparação com 30 anos de descalabro!

O país chegou a uma situação que necessitava de alguém com esta imagem, com este perfil. Esperemos que não seja apenas imagem. Apenas perfil. E que não fique tudo na mesma… ou pior!

Por agora, os portugueses acham que não.

As alternativas também não se vislumbram. Ninguém acredita em figuras (proeminentes) que se escondem na sombra, qual necrófagos, para aparecerem na altura certa!

Assim é fácil para o Sócrates!

Quanto a quadros de “polvo” e “conspiração” socialista: podem existir. Mas, ainda é cedo para se comprovar tal realidade.

Oxalá sejam ilusão e o Sócrates tenha êxito. Seria bom para o país.

Seria bom para todos nós!


Grande Abraço

Fernando Dias

Luís Bugalhão disse...

ai é? atão e, bom decisor cm ele é, não devia já ter posto a andar o mário alcochetejamé?

ou o gajo pode estar rodeado de incompetentes à vontade, que, especial como é, resolve tudo a contento e, vê bem, sozinho?

não me parece que ele, o pinto de sousa, seja mais que publicidade enganosa e ego exacerbado. é pq a inflação, subiu, o desemprego, subiu, a classe média está de rastos, mas cm é tudo funcionários públicos, cada um só tem o que merece, os impostos, subiram, asfixiando tudo o que é pequena iniciativa privada... entretanto, o rendimento dos gestores públicos, não o dos funcionários, subiu, o lucro dos mega privados e mega subsidiados, subiu... tudo isto bem sustentado em controlo apertado dos mídia, que subiu, boys em todos os estratégicos jobs privados e públicos, que aumentaram...

e nem as concertações estratégicas com os ppd's deram algo do que ele prometeu: a confusão e ineficácia da justiça em portugal, aumentou!

separando para reinar, vem sempre apresentando as várias fraquezas e vulnerabilidades de cada sector da sociedade portuguesa, apoiado no terreno pela servil comunidade de orgãos de intoxicação social, pondo enfermeiros contra professores, doentes contra médicos, polícias contra juízes, civis contra militares, empregados precários contra sindicatos.

ah! e mentindo. muito e sempre. como no caso do aeroporto de lx. 'tou para ver quantos vão agora, justa ou injustamente, não interessa agora para o caso, engordar o pecúlio pessoal à conta do que não puderam fazer à roda da ota...

por isso, fernando dias, não sei se esse gajo merece um apoio assim tão desbragado. nem sequer o benefício da dúvida lhe dou, com desejos de que ainda venhamos a verificar que ele é um bom governante. apenas vejo um tecnocrata, vazio de ideias mais profundas para além do liberalismo fundamentalista, longe, muito longe, daquilo que é a social democracia das finlândias e das dinamarcas que tanto idolatra.

o que eu espero é que o povo português o obrigue a governar em coligação (porque ganhar parece ser inevitável nesta conjuntura), para veres como o rapaz amua, e que tb nunca se engana e raramente tem dúvidas como o outro, que agora, em vez de força de bloqueio, dá é uma de cooperação estratégica.

ah, só mais isto: há oposição para além dos nomes que citaste. tens é que te atrever a tentar, perdendo os medos idiosincrásicos de estar a escolher coisas que já passaram de moda. é que ainda não passaram!

abraço

Luís Manuel Marques Bugalhão

Marilia Rosado Carrilho disse...

Em resposta ao Bonito atrevo-me a citar o Luís:

"é pq a inflação, subiu, o desemprego, subiu, a classe média está de rastos, mas cm é tudo funcionários públicos, cada um só tem o que merece, os impostos, subiram, asfixiando tudo o que é pequena iniciativa privada... entretanto, o rendimento dos gestores públicos, não o dos funcionários, subiu, o lucro dos mega privados e mega subsidiados, subiu... tudo isto bem sustentado em controlo apertado dos mídia, que subiu, boys em todos os estratégicos jobs privados e públicos, que aumentaram...". Não consigo dizer melhor que isto.

Eu tb não tenho certezas nenhumas quanto a este tipo que partilha o nome com um filósofo, mas é mais como os outros, os sofistas. É pouco pensador e mais estratega e mediático (amigo da linda imagem e boa retórica). E muito menos certezas tenho quanto à eficácia das suas decisões e ao andamento da nossa vida nesta conjuntura.

Direitos adquiridos abolidos, exigencia de vida pobre e outros a enriquecer a olhos vistos... e não, não são os funcionários publicos os culpados... são os oportunistas e exploradores, e esses há dentro e fora do funcionalismo publico.

abraço.

M.

João Bugalhão disse...

No final dos anos 80, andou por aí rodando uma música feita pelos “sitiados”, que tinha por título “esta vida de marinheiro” e que a certa altura referia “que esta vida de marinheiro está a dar cabo de mim…”

Agora parafraseando, eu acho que esta “ditadura” dos economistas e a “gestão” de certos engenhêros, andam a dar cabo de nós. E não crêem que seja só por fora…porque eu acho que é por dentro. Isto é, estão-nos a entra no âmago que é onde nos causam mais dano, e alguns de nós, mesmo os mais lúcidos, começamos a ficar confusos…vejam bem onde a coisa já chegou!

Vem esta tanga toda a propósito do comentário elogioso a pinto de sousa, aqui deixado pelo Bonito, que me tem parecido uma das pessoas com maior lucidez, que por aqui tem andado a beber uns copos. E não só aqui, também em outras tascas e até mesmo em “espaços ao ar livre”. Mas esta elegia “socratiana” está-me a fazer comichão.

Bem sei que este tipo de opiniões estão bem fundamentadas, nos célebres difusores de opinião de fim-de-semana, que são lidos como se de bíblias se tratassem, e dão pelos nomes pomposos de expressos e sois. Mas eu sobre coltura, só leio “a bola” e por isso estou naquele estado de pureza, que muitos apelidem de virgindade, mas também de independência de pensar pela minha cabeça.

Em primeiro lugar, Sondagens: Tanto quanto sei nos últimos tempos não acertam uma. Mas não é porque não saibam, é porque não querem. Porque o que eles querem sei eu…e alguns de vocês também sabem.

Em segundo lugar redução do défice: Parece que desde a entrada do sr. pinto de sousa, o défice orçamental reduziu cerca de 3% (eu acho que não foi tanto, mas vá aceitemos). Então e quanto aumentaram os impostos (os directos e indirectos) para cada um dos 10 milhões de portugueses desde 2005?
Ó srs. economistas não me digam que foi inferior (pareço o pinto de sousa)? E façam bem as contas IRS+IRC+IVA+Impostos Sobre Produtos Petrolíferos. Já fizeram as contas, só sobre este último, que o estado cobra a percentagem!
Eu faço as contas por alto: se em 2004, cada litro de gasosa que eu metia, lá pingavam 40 cêntimos para os impostos; hoje para o mesmo litro de gasosa, pingam cerca de 60 cêntimos para os cofres do sr. engenheiro.
Quanto aumentou este imposto? Alguém que me faça as contas que eu ainda me engano… quanto representa este aumento na diminuição do défice? E os outros?

Em terceiro lugar, crescimento económico: Alguém me faz um boneco, com as diferenças entre o crescimento económico em Portugal e a média do crescimento europeu, nos últimos 10 anos (ano por ano)? Para que, quem não vê o sol, nem anda de autocarro, perceba os méritos da governação socratiana, e dos outros anteriores.

E por fim, uma pergunta ignorante: Como é que um país de vadios que não produzem, paga tão bem aos seus dirigentes?

Já sei, é através da avaliação do desempenho das organizações e do mérito dos seus lideres…

Um abraço

j. buga…e benfica ainda há-de ser campeão!

João Bugalhão disse...

Isto hoje saíu a prestações, mas juro que só bebi uma cerveja...



Em quarto lugar, trapalhadas: Juro que neste ponto é que o actual governo é exemplar. Gente séria esta. Só não vão para as noites lisboetas, mas que apanham umas gan’da cardinas, apanham…excepto o mário lino, que esse “jamé” provou esse néctar de Baco, garanto-vos eu, que ando de tasca em tasca…
Abençoado líder que tem discípulos assim. O que estará a pensar o marido da rita da testa grande?
Deve andar entretido lá com essas coisas da “coligação” entre a maçonaria e a opus dai (ou será gay?).

John The Revelator disse...

Podem argumentar o que vos apetecer. Ainda não abandonei a ideia de que o Candidato Vieira seria o Homem ideal para tomar as decisões do nosso Portugal. Máximas como "Só desisto se for eleito!", "Portugal à maneira só com Manuel João Vieira...","Já sabes, que, só com Vieira é que gozas umas merdas à maneira!" ainda hoje se ouvem nas conversas dos apoiantes. De relembrar que o candidato sempre prometeu (entre muitas outras coisas) "Vinho canalizado para toda a gente e uma loira com patins em linha para os portugueses gozarem umas merdas!". Para quem que revisitar essa mítica campanha aqui vai: http://www.vieira2006.com/home.html

e o press release para a imprensa:
http://www.vieira2006.com/conferenciapressrelease.pdf

Bonito disse...

Cansado, após mais uma 3ª terça feira do mês de “sacrifício” nocturno, preparando-me para ir recuperar da dita, dou uma espreitadela na tasca para ler as já esperadas reacções à minha análise da conjuntura político-económica actual e eis que me deparo com um J. Buga cheio de comichão...

O J. Buga que, não será necessário reafirmar, estimo bastante, tem destas coisas…

Afirma o auto confiante e autodidacta que:

“ …Bem sei que este tipo de opiniões estão bem fundamentadas, nos célebres difusores de opinião de fim-de-semana, que são lidos como se de bíblias se tratassem, e dão pelos nomes pomposos de expressos e sois…”

Grande “atestado” me passou o artista! Sim senhor. E mais não digo…

Quanto à substância das várias reacções à minha opinião… compreendo-as! Temo, até, que sejam acertadas, como, aliás, fiz transparecer no meu comentário.

Contudo, não se esqueçam, companheiros, que o actual governo não partiu do zero! Pegou em algo que tinha antecedentes… e antecedentes bem complicados. Enfim, partiu condicionado. Condicionado, como quem vai gerir uma autarquia; ou uma empresa já existente; ou uma família com um passivo exorbitante acumulado…

Por isso, se pode entender que até, eventualmente, os direitos adquiridos tenham que ser postos em causa.

Por acaso, não conhecem nenhuma família que, gastando reiteradamente além das suas reais possibilidades, se veja, repentinamente, obrigada a trocar o seu BMW por um Corsa, ou a vivenda por um T2? Eu conheço algumas.

Nas finanças públicas passa-se o mesmo.

E isto… não são elogios! Trata-se, apenas da análise de quem em política não está, encarneirado, como se está no futebol… vestido sempre, emotivamente, a mesma camisola… sem sentido crítico!

Bom, agora vou, finalmente, descansar porque amanhã tenho que contribuir com a minha “produtividade” para ajudar a alterar o estado do país.

Modéstia à parte…

hahahahahahahahaha

Grande abraço
Bonito Dias

Jorge Miranda disse...

Estive para não entrar na Tasca, mas perante o ataque “fundamentalista” de que foi vitima o Bonito, não resisti (não é que ele precise de ajuda).
Há cerca de 2000 anos diziam os Romanos que na Ibéria havia um povo que não se governava, nem se deixa governar…
Critica-se o governo porque é prepotente e arrogante, pela 1ª vez é tomada uma decisão com base num parecer técnico e cai o Carmo e a Trindade. Apesar de achar que o ministro Mário Lino devia ir à pesca para o Alqueva …
Se fizer uma análise criteriosa não concordo com muita coisa que está a ser levada a cabo por este governo, no entanto considero fundamental para o FUTURO algumas das medidas adoptadas em relação à função pública (sou funcionário público), porque toda a gente fala em direitos adquiridos, mas não vejo ninguém a falar em deveres adquiridos.
Em relação á carga fiscal os principais culpados somos todos nós que contribuímos para uma economia paralela, e, dou apenas dois exemplos as reparações nas oficinas dos amigos, o pedreiro que vai lá a casa fazer um biscate…
Existem na maior parte dos portugueses genes de maledicência., somos insatisfeitos por natureza, tenho esperança que a geração dos nossos filhos possa alterar esta mentalidade mesquinha.
Existem 3 ou 4 Associações em Portugal que pela 1ª vez em décadas foram colocadas em causa, os professores (como podem ter um líder sindical que há 20 anos não dá uma aula e se encontra desfasado da actual realidade que é a escola hoje em dia), os militares ( ressalvo desde já que não é um ataque à Marinha por respeito ao Luís, mas a vários quadrantes que passaram uma vida militar a fazer formação para subir de posto, só assim se explica que existem tantos oficiais superiores), os magistrados ( e todas as suas regalias acrescidas, desde a renda da casa a outras que nem vale a pena mencionar), os farmacêuticos que são um dos maiores lobbies do país, concordo que a mudança assusta, mas devemos mudar ou pelo menos dar o beneficio da duvida e no fim votaremos em consciência.
Concordo que por vezes é necessário despir a camisola, eu como não visto nenhuma estou à vontade.
Post scriptum- Não há muito tempo o dono da Tasca apresentava o Sr. Pinto de Sousa como um exemplo da Portucalidade e sobre o qual tecia rasgados elogios…
Post scriptum 2 Eu também leio o Expresso, a Visão e a Bola…por isso devo estar entre a virgindade de uns e o intelectualismo de outros.

Luís Bugalhão disse...

boas companheiros.

uns reparos ao jorge miranda, se me permites, caro compadre da taxca:

1. não vês ninguém a falar dos deveres? então achas que ainda tínhamos que dizer que os deveres mantiveram-se ou aumentaram, na mesma medida em que os direitos foram suprimidos? já viste que tudo aponta no sentido de, pr'ós privados e para os funcionários do estado, mais trabalho e menos direitos?

ai que tem que ser, que há pouco dinheiro? ai que eles herdaram uma situação lamentável (para ser amigo)...?
o tanas!! se há dinheiro para emprestar ao berardo para ele comprar acções de um banco, no qual apoiará, nas eleições para o cadm, um lista chefiada por quem lhe emprestou o dinheiro, que para isso mesmo lho emprestou, não há dinheiro para aumentos dignos para todos? dignos! não é € 0,60!
e quando chegarmos ao ponto de, cm diz o saramago e outros, ir para a praça a ver se o manageiro hoje nos escolhe (se eu andar caladinho, e for saudável), como é que é, tb dizemos que 'é a vida.', à moda do beato guterres?;

2. os militares são o sector da sociedade portuguesa mais maltratado desde o 25 de abril. a partir da extinção do conselho da revolução, em 1982, o poder político foi controlando cada vez mais o processo de sujeição do militar ao político, até chegarmos,
por um lado, ao caricato de os chefes militares serem delegados políticos do governo junto dos militares, em vez de representantes dos militares junto do poder que os tutela;
por outro lado, e com a extinção do serviço militar obrigatório, temos agora uma tropa de mercenários. já nenhum puto vai para a tropa para desempenhar a nobre missão que a constituição atribui aos militares: vai pq não arranja emprego. já lá não está para'... cumprir e fazer cumprir...'. está lá pelo bago. e o povo bate palmas. prefere assim. é uma mudança de paradigma! boa socas! tou contigo!

mas eu pergunto, então os milhares de cidadãos que, como eu, deram e dão o melhor das suas vidas numa profissão tão mal vista quanto exigente, sacrificando tantas vezes os filhos e a restante família, o que é que fazem durante a mudança? deixam de ter direitos que andaram a pagar uma vida inteira?
ainda por cima, estes homens e mulheres, são confundidos com os que, no escurinho dos gabinetes, tratam da vidinha deles, apanhando as migalhas que ainda vão sobrando do desperdício de mordomias do poder político, em quem todos votamos. esses é que são os tais que 'só dão aulas para, ou até, ser promovidos' (até parece que isso não acontece em todas as sociedades desenvolvidas, progredir a ensinar, mas enfim...) e não representam, como por compromisso de honra deviam, os seus subordinados. e os subordinados são gajos como eu, que ainda por cima eles querem é caladinhos.

e é aqui que o pinto de sousa entra outra vez! este engenheireco de meia tigela, tem perpetrado nos últimos dois anos uma perseguição a tudo o que seja direitos da família militar, ao mesmo tempo que adoça a boca aos chefes para eles nos manterem na linha, para que eles punam quem grita bem alto a sua razão e a sua indignação. o salazar não teria feito melhor.

-----------------------------------

por isso digo, que se lixe o socas! ele que vá c'os porcos! amanhã já!
mentiroso, instigador da bufaria, conselheiro mor das linhas editoriais (sim, dos expressos e dos sóis e das tv's e de tudo, ou tens a memória curta?), sibilino, que aprova leis à socapa em períodos de silly season, para que a maralha não saiba, nem o impeça de governar à vontade, desonesto, vaidoso e ditador.
isso é que este caramelo é, uma promessa guterrista ainda há escassos 10 anos, um nouveau riche na actualidade. com tudo o que de mau tem o cliché.

não é nada um gajo que precisa de tempo para que a gente veja a bondade das suas medidas para resolver este problema chamado portugal. já vi o que tinha a ver, e de iluminados já a nossa história tem a sua conta.

sem ofensas, bonito e jorge, mas eis o que penso.

Garraio disse...

Pensei que para dizer tolices tava cá eu , mas é só deixar alguns meninos sozinhos, e de seguida, te arredam do poleiro.
Nem vou referir-me a nada em especial, só para não ferir pessoas mais susceptíveis, porque se comento ao pormenor, dá merda. Pela certa.
Dá-me a impressão que há gajos nesta barraca que se drogam. Nenhum bêbado, por muito bêbado, consegue disparatar tanto.
Também pode ser que eu esteja enganado, se calhar vivemos é em países diferentes.

Agora vou falar do meu país, depois quem quiser que fale do dele:

No meu país, já o disse antes, a maior parte das reformas dos velhotes, são abaixo dos 300 euros, dos quais mais de metade são para medicamentos. Depois pagam água, electricidade, gás e telefone. Mais 75 euros. Sobram 75 ao mês, para comer, beber e vestir. 75 ao mês. No meu país, no vosso não sei.

No meu país, tudo o que está no interior, não interessa. Os votos estão no litoral. O Interior é para matar. E matar rapidamente. Fecharam as maternidades, as urgências, fecham finanças, notários, posto da GNR.

Nós por aqui, estamos já a dezenas de kms de muitos serviços essenciais.

Ok, é a crise. Temos que a pagar.

E é para pagar a crise, que vamos fazer um aeroporto não sei porquê, e uns comboios desse que andam depressa, também não sei porquê. Ou seja, sei, mas não digo.

É para pagar a crise que os escalões dos FPs estão congelados há anos. Escalões de malta que ganha menos de 500 euros por mês, muitos deles. Sei disso, são meus colegas.

Mas se consultares o Diário da República, todos os dias se abrem centenas de concursos para boys, que não cobram menos de 2500 cada um.

Por favor, que ninguém defenda mais estes filhos da puta, ou eu não respondo mais por mim.

Bonito disse...

Oh amigo garraio andas a ler à pressa ou estás com dificuldades de interpretação?

Estás a misturar alhos com bugalhos!

Ninguém discutiu essa realidade que referes. Discutia-se, sim, de quem é a responsabilidade!

Alguns defendem que é do “monstro” Sócrates. Outros consideram que dois anos não são suficientes para arcar com tamanha responsabilidade! Que não se pode passar uma esponja passado!

Simples, não?

E há, ainda, aqueles que avaliam o todo apenas pela sua própria experiência. Eu não. A minha mulher é professora e, como tal, está congelada (salvo seja) há dois anos. E eu, apesar disso, esforço-me para fazer uma análise global!


Grande Abraço

Bonito Dias

Bonito disse...

Errata: Garraio com G Grande, claro.

Desculpa, companheiro!

Grande Abraço
Bonito Dias

João Bugalhão disse...

Ó Bonito faz lá as minhas contas que me quero ir embora...

E o Jorge também gostava de saber! As contas...

Que isto de andarmos a discutir de quem é a filha mais bonita, já todos temos a resposta: á nossa filha.

Mas o que eu quero avaliar são resultados, porque de avaliação de processos...já estou farto.

João Bugalhão disse...

Errata:

Onde se lê "à nossa filha; deve ler-se: é a nossa filha.

Garraio disse...

Ó Fernandinho Joli, escuta lá pá:

Tu não és do mesmo país que eu, tou a ver.

No meu país também há um palhaço chamado Sócaátes com uma esponja na mão.


Mas, no meu país, o que ele está a limpar com a esponja são as poucas coisas boas que ainda por aqui havia. Ainda não limpou nada de mau, nem inflações, nem desempregos, nem defices. Ou limpou alguma merda destas e eu não interpretei bem???

Tou lixado contigo!!!

(hoje cheguei ao pego da negra, pelo tal caminho por onde deviamos ter ido. É mesmo logo ali!!!! Temos que lá ir)

Marilia Rosado Carrilho disse...

Pois...

Pois...

Pois...

Bem, não concordo quando o Bonito diz que talvez se esteja a ver só pela nossa perspectiva. Não estou gravida, nem moro onde se fecharam maternidades, e doeu-me profundamente ver fechar maternidades, sobretudo num país com população envelhecida! Nascem nas ambulancias... os que ainda têm a coragem, sim, coragem de ter filhos! Esta coragem é tanto maior quanto maior for a interioridade da morada da mãe, claro. É so um exemplo.

Claro que há coisas que têm que mudar, mas prepotência, autismo, culto do "bufismo" e do "amiguismo", ah disso o só-traques sabe bem e é profundamente lamentável! Estou "pelos cabelos" de desmentidos e jogadas de retórica e boa imagem do senhor só-traques e dos seus "pupilos" intocáveis.

Luís Bugalhão disse...

ó joão bugalhão e jorge miranda, e então a avaliação de resultados é boa? ou então quais são os resultados que temos que analisar para que a coisa pareça... ahh... sofrível?

o país está melhor depois dele usar os tais 'processos' que não vale a pena avaliar?

e será que se os, enfim, menos maus resultados forem obtidos à custa de supressão de liberdade, desrespeito pela cidadania activa, limitação da prática democrática, isso não tem importância, pq não se avalia processos?

eu ainda não estou farto dessa avaliação, pois é por causa dos processos que o país está como está. é que é mesmo por aí que a coisa tem que começar, por avaliar o processo por forma a poder mudá-lo.

é que bons resultados conseguia-os o beato de santa comba, e parece-me que o processo desse senhor tem uma avaliação muito baixa.

não percebi...

bom dia

João Bugalhão disse...

Ó meu caro sobrinho…
Isto da arguição acerca da opinião dos outros, é como as tácticas futebolísticas, cada “competidor” merece uma análise diferente. Apesar de haver por aí uns “bentos” do futebol, que afirmam, constantemente, que as suas equipas jogam sempre em função de “si”, e não em função dos adversários. Naturalmente é por isso que perdem tantas vezes…digo eu!

Claro que os “processos” são importantes, tal como o são os “contextos”, e nem sempre os meios justificam os fins…

Mas as questões que botei ao Bonito tinham a ver com aquilo que determinados tratadistas da nossa praça acham que são os êxitos da governação “socratiana”, nomeadamente, alguns economistas.
Ora eu penso que até esses (in)“êxitos”, merecem ser controvertidos. Como é o exemplo da “diminuição do défice”, que no meu modesto juízo, foi feita apenas e só, através do cobro abusivo de impostos aos mais depreciados, entre os quais, o que referi sobre os impostos sobre os pdp.

Já agora, talvez tu sejas capaz de nos dizer quantos litros de combustível de derivados do petróleo se consomem em Portugal. Porque bastará dividir por 5 esse nº, e teremos o total de euros, que nos arrecadam hoje a mais do que há três anos.
E não dúvides (como dizia o outro), porque basta ver o preço que os nossos vizinhos espanhóis cobram por cada litro da “amarelinha”. E, que eu saiba, os produtores da dita não lhes fazem desconto. Para saberes quanto nos saqueiam cada vez que temos de atestar. Para dizermos ao Bonito e ao Jorge…

Por outro lado, a questão do prodígio do “crescimento económico”, em que se refugiam os defensores do sinistro.
Ora o que eu peço, é que se analise a diferença entre o crescimento económico português e a média dos países da comunidade. Porque facilmente constataremos, que o crescimento que se verificou em Portugal nos últimos 10 anos, nada tem a ver com os desempenhos governativos em portugueses!

Quem tiver dados que me contradiga.

Quanto a ti meu caro, és um argumentista (atleta) diferente, que merece outra “tácticas”…

E sempre te digo, como já referi em cima, que na minha opinião, nem sempre os meios justificam os fins…mas não podemos ficar sempre agarrados aos “processos”, como parece ser cultural neste país à beira mar plantado.
Por causa disso, até se diz que Portugal é um país com personalidade “feminina”; e temos que começar a pensar em resultados. Senão chegamos sempre às mesmas conclusões:
- A minha filha é a mais bonita do mundo…porque é minha filha (às vezes são desengraçadas como c...)
- A minha equipa é a melhor…porque é o meu clube (mas não ganha, e gasta o mesmo dinheiro, ou mais que os outros…).
- E deus é o criador do universo…porque eu não sei compreender como é que esta coisa apareceu (e tem que haver sempre alguém para conceber, porque sim…).
etc., etc…

Porque isto de “ganhar e jogar bem, nem sempre é possível”.
Às vezes temos de imolar algo do individual, em prol do grupal (garanto que esta não tem a ver com as minhas iniciações políticas…), senão caímos no risco de fazermos tudo bonitinho, dentro dos mais elementares princípios e regras, mas às tantas o “sumo”, esvaiu-se…isto é, “sem graveto, não há nada para distribuir”, e em vez de muito ricos e pobres, ficamos todos muito bonitos…mas, com eles entalados.

Claro que isto não se aplica à pratica do “só-traques”, como diz a Marília…eu digo do “só-truques”, porque com já viram, troco as letras de vez em quando, esse:

JOGA MAL…E FAZ-NOS PERDER DEMASIADO!

Um abraço, e estou como o Garraio, está na altura d´ outro giro...

j. buga